Felipe Neto é atacado nas redes sociais, mas tiro bolsonarista sai pela culatra; youtuber ganha apoios

Uma ampla rede de solidariedade ao youtuber Felipe Neto surgiu espontaneamente nesta segunda-feira (27), após ele ser alvo de novos ataques de bolsonaristas. O moço entrou na alça de mira da extrema direita, que tenta minar sua influência com o público infanto-juvenil. O youtuber, em seus posts, tem politizado esse setor com duras críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Com a hashtag #JuntosComFelipeNeto, milhares de personalidades se manifestaram a favor de Felipe Neto. O Blog do Esmael também se solidariza com o youtuber.

“Covardia, bullying, desrespeito…nada disso é tolerável. Felipe Neto é voz corajosa nas redes. Goste-se ou não dele, temos de defender quem renova o debate público. Se nossa geração quer deixar como legado 1 país + afetivo e eficiente, temos de participar+”, escreveu o apresentador Luciano Huck, da Globo.

Até 12h39, registrou Felipe Neto, 416 vídeos já foram subidos para o Facebook e Instagram tentando associá-lo com pedofilia e conteúdo impróprio. Todos os materiais foram derrubados por violação das diretrizes das plataformas. “Quatrocentos e dezesseis vídeos. Ainda é meio dia”, protestou.

O ex-governador Ciro Gomes (PDT) também publicou mensagem em apoio ao youtuber. “Cada vez mais importante as investigações sobre essas estruturas de fakenews! Siga na luta @felipeneto! #JuntosComFelipeNeto”, escreveu.

Felipe Neto, pelo visto, ele próprio monitora e gerencia o ataque –defendendo-se pelas próprias redes sociais. Ele tem 39 milhões de inscritos no Youtube e mais de 12 milhões no Twitter.

“Olhem a quantidade de comentários acreditando… É assim em todo post, sempre tem uma leva enorme de pessoas que acreditam. Esse tipo de mentira leva a assassinatos (literalmente). Vcs acham q eles se importam?”, reagiu.

O perfil Mídia Ninja afirmou que Felipe Neto (@felipeneto) novamente é atacado pela base apoiadora bolsonarista, que segue com sua máquina de ódio disseminando mentiras. “Por falta de argumentos, usam fake news. Estamos com você, Felipe #JuntosComFelipeNeto.”

O diabo que os ataques desferidos contra Felipe Neto, hoje e outros dias, são oriundos de robôs. A maioria das interações são realizadas por não humanos. Os aplicativos de internet –no caso Facebook, Twitter, Instagram, Youtube, dentre outros– têm como barrar essas fake news porque conseguem identificar a repetição das mensagens e IPs (identidade da máquina).

O youtuber Felipe Neto entrou no olho do furacão depois que o jornal americano New York Times publicou um vídeo dele, no último dia 15, descendo o sarrafo nos presidentes Donald Trump (EUA) e Jair Bolsonaro (BR).

Neste domingo (26), Felipe Neto desabafou: “A todos que estão ao meu lado, vendo a tentativa da extrema direita em me associar com pedofilia e conteúdo impróprio: não respondam com violência, não ataquem. Nós temos a verdade. Apenas mostrem meus vídeos e provem q eles só divulgam conteúdo muito velho pra me atacar.”

Pelos apoios que o youtuber recebeu após os ataques, o tiro bolsonarista saiu pela culatra.

Assista ao vídeo:

LEIA TAMBÉM

Lula prova que não existe morte definitiva na política ao anunciar a volta do PT em 2022

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última sexta-feira (24), disse na reunião do diretório nacional do PT que o partido está se preparando para voltar a governar o país em 2022. O solene anúncio prova que não existe morte definitiva na política. De acordo com Lula, o partido ressurgiu no cenário político e “está mais vivo do que nunca”.

O ex-presidente disse que o PT se prepara para vencer as eleições gerais de 2022 e voltar a presidir o Brasil. Lula fez a afirmação na forma de um recado para as pessoas que, nas palavras dele, têm medo do partido.

“Para aqueles que têm medo do PT, saibam que estamos nos preparando para voltar em 2022 a voltar a governar esse país e isso começa por conquistar prefeituras importantes”, disse o ex-presidente em discurso online durante reunião do Diretório Nacional da agremiação. A reunião foi transmitida nas redes sociais.

Lula afirmou ter a impressão de que o PT recuperou a vontade de lutar, “a força de brigar pelas coisas certas, que em alguns momentos que parecia que a gente tinha perdido”, elogiou.

“O PT ressurge no cenário político. O trabalho que estamos fazendo demonstra que o PT está mais vivo do que nunca”, analisou o ex-presidente, comparando a saga do partido à lenda do Fênix –o pássaro da mitologia grega que, quando morria, entrava em auto-combustão e, passado algum tempo, ressurgia das próprias cinzas.

O ex-presidente usou como exemplos desse movimento a atuação dos parlamentares petistas na Câmara dos Deputados para a aprovação da ampliação do Fundeb nessa semana e a formulação, por parte de dirigentes partidários, de propostas para a retomada econômica no país.

Um desses projetos, o Mais Bolsa Família, foi apresentado durante a reunião do diretório e deve chegar esta semana ao Congresso Nacional para discussão.

“Vamos mostrar que o PT soube fazer no passado, sabe fazer no presente e está se preparando para fazer cada vez mais no futuro”, destacou Lula.

De fora, como comentarista político, o ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) também deu seu pitaco sobre o “ressurgimento” do PT nesse cenário de destruição provocado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e Paulo Guedes> “Não existe morte definitiva na política e no cinema, até porque no próximo filme o vilão aparece no papel de vilão e vice-versa”, filosofou o e emedebista mais petista no país.