Ex-secretário de Saúde do Rio é preso por suspeita de desvio na compra de respiradores

O ex-secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, foi preso manhã desta sexta-feira (10) em seu endereço residencial, em Botafogo, na Zona Sul da capital fluminense, pelo Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC), do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ).

Segundo o MP-RJ, o ex-secretário é suspeito de integrar uma organização criminosa que fraudou contratos emergenciais de compra de respiradores pulmonares no valor de R$ 1 bilhão. Os equipamentos são usados no tratamento de pacientes com covid-19.

LEIA TAMBÉM:
Brasil chega a 70 mil mortos pela Covid-19 e ‘quartel’ da Saúde abandona pesquisa sobre a doença

PT promete sacudir o Brasil nesta sexta com o movimento Fora Bolsonaro

Membros do MBL são presos em SP por desvio e lavagem de dinheiro

A ação de hoje, que foi autorizada pelo juiz Bruno Rulière, da 1ª Vara Criminal Especializada da Capital, é um desdobramento da Operação Mercadores do Caos. A primeira fase da operação já tinha resultado na prisão do ex-subsecretário executivo da Secretaria estadual de Saúde Gabriell Neves, no início do mês maio. Para o MP-RJ, Edmar Santos atuou de forma consciente, “em comunhão de ações e desígnios” com Neves e outros investigados para desviar recursos públicos destinados à compra dos equipamentos médicos.

A Justiça também autorizou o arresto de bens e valores do ex-secretário até o valor R$ 36.922.920,00, que, segundo o MP-RJ é equivalente aos recursos públicos desviados em três contratos fraudados.

Edmar Santos, que é policial militar da ativa, foi exonerado do cargo no dia 17 de maio. Ele havia assumido a pasta no início do governo de Wilson Witzel (PSC).

Com informações do G1.