Fundador da Ricardo Eletro é preso por sonegação fiscal e lavagem de dinheiro

O empresário bolsonarista Ricardo Nunes, fundador e ex-principal acionista da rede varejista Ricardo Eletro, foi preso no estado de São Paulo, na manhã desta quarta-feira (8), em uma operação do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG), Receita Estadual e Polícia Civil. Ele é acusado sonegação fiscal e lavagem de dinheiro em Minas Gerais.

A filha de Ricardo, Laura Nunes, também foi presa. Há ainda um mandado de prisão contra o diretor superintendente da Ricardo Eletro, Pedro Daniel Magalhães, e um mandado de busca e apreensão expedido para Rodrigo Nunes, irmão de Ricardo.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro pode sofrer golpe porque testou positivo para Covid-19, dizem bolsonaristas

Marcelo Adnet faz Lula, Ciro, Marina e Dilma debaterem a Covid de Bolsonaro; assista

Lava Jato faz demagogia com a pandemia de coronavírus

Ao todo, a força-tarefa composta pelos três órgãos mineiros cumpre nesta quarta-feira três mandados de prisão e mais 14 de busca e apreensão. Em Minas Gerais, os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Belo Horizonte, Contagem e Nova Lima. Em São Paulo, há alvos na capital e em Santo André.

A operação recebeu o nome de “Direto com o Dono”. De acordo com o MP-MG, aproximadamente R$ 400 milhões em impostos foram sonegados ao longo de mais de cinco anos. As investigações apontam que a Ricardo Eletro cobrava dos consumidores impostos embutidos nos preços dos produtos, mas não fazia o repasse para o Estado de Minas Gerais.

Com informações do G1.