Defesa de Lula volta a pedir ao STF acesso a conversas entre Moro e Lava Jato

A defesa do ex-presidente Lula (PT) voltou a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) o acesso a mensagens trocadas entre os procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e o ex-juiz Sérgio Moro. As mensagens fazem parte de material apreendido pela Polícia Federal (PF) na Operação Spoofing.

Os advogados argumentam haver “elementos novos” relacionados ao caso e afirmam que buscam apenas as mensagens trocadas que digam respeito a Lula.

“Foram revelados novos elementos da colaboração secreta – e ilegal – havida entre os procuradores da força-tarefa da Lava Jato com autoridades norte-americanas”, diz a petição, que cita reportagem publicada ontem (1°) pela Agência Pública em parceria com site The Intercept Brasil.

“Não se está buscando acesso a conversas privadas dos procuradores da República em tela, mas, sim, a conversas realizadas em aparelhos do Estado e que dizem respeito aos atos funcionais praticados por tais agentes públicos sem a observância da lei e com o objetivo de prejudicar o paciente”, ressaltam os advogados.

LEIA TAMBÉM:
Deltan Dallagnol vai a julgamento dia 7 por powerpoint contra Lula

Segundo Lula, Dallagnol montou uma quadrilha na Lava Jato

Por que a ‘picanha’ de Gilmar Mendes causou tanta polêmica nas redes sociais?

O mesmo pedido já havia sido negado em agosto do ano passado pelo ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo.

A Operação Spoofing foi realizada pela PF em julho do ano passado e prendeu um grupo de hackers que invadiu contas de autoridades públicas no Telegram, entre elas Sérgio Moro e os procuradores da Lava Jato.

Com informações do G1.