‘Ciro Gomes vai ter menos votos na próxima eleição’, prevê Lula

O ex-presidente Lula, em entrevista à Rádio Bandeirantes, previu nesta quinta-feira (2) que o ex-governador Ciro Gomes (PDT) terá menos votos na próxima eleição presidencial do que teve em 2018.

Para Lula, ao criticar o PT, Ciro presta um serviço à extrema direita pensando ser possível angariar votos para chegar ao segundo turno.

“O papel do Ciro é lamentável. É lamentável que ele esteja fazendo um discurso que extrema direita sempre faz nesse país votos para ver se consegue uns votos do Alckmin e do Doria. Ele vai ter menos votos nas próximas eleições do que fez em 2018”, disse.

O petista explicou que, para chegar ao segundo turno, Ciro terá que ganhar o primeiro turno.

Ciro Gomes foi candidato à Presidência da República em três eleições. Na última, em 2018, ele conquistou 12% dos votos válidos.

No segundo turno, o pedetista preferiu viajar para Paris a participar do movimento contrário a Jair Bolsonaro (sem partido). De acordo com o PT, foi aí que ódio venceu a esperança.

Assista ao vídeo:

LEIA TAMBÉM

Segundo Lula, Dallagnol montou uma quadrilha na Lava Jato

Publicado em 2 julho, 2020

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em entrevista à Rádio Bandeirantes, acusou o procurador Deltan Dallagnol de ter montado uma quadrilha na força-tarefa da Lava Jato.

“O Dallagnol montou uma quadrilha com a Força Tarefa da Lava Jato e isso está ficando claro”, disse o petista. “Espero que em algum momento a Justiça leia os autos do meu processo pra esclarecer a farsa que promoveram pra me tirar do processo eleitoral de 2018.”

Para Lula, a prova de que Deltan cometeu crime na Lava Jato foi a tentativa do procurador pegar R$ 2,5 bilhões da Petrobras para fazer política.

O ex-presidente também reagiu à informação de que 13 agentes do FBI que atuaram ilegalmente na Lava Jato.

“A gente vem denunciando há anos o envolvimento do Departamento de Justiça dos EUA na Lava Jato. Apontamos fatos concretos, que eles chamavam de teoria da conspiração. Agora isso está vindo à tona”, alivia-se Lula.

O ex-presidente Lula, embora bata duro, jura que não quer vingança. “Quero Justiça”, garante. “Por isso nós entramos com um pedido de anulação do processo do Moro na Suprema Corte”, explicou, referindo-se à sentença do ex-juiz Sérgio Moro que o condenou a 8 anos e 10 meses de prisão (com a redução da pena pelos tribunais superiores).

O petista comparou a força-tarefa Lava Jato com os aparelhos da ditadura militar, entre 1964 e 1985, que recebiam instrução do Departamento de Estado dos Estados Unidos.

“Foram 50 anos pra gente ouvir o Kennedy falando com o embaixador Gordon sobre a intervenção militar aqui no Brasil. Podemos levar anos pra revelar a verdadeira história da Lava Jato, mas a verdade vai aparecer.”

“Vou provar que o Moro é mentiroso e que Deltan é chefe de quadrilha”, afirma Lula.