[ao vivo] Caixa explica operação de pagamento do auxílio emergencial

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, participa de entrevista online e atualiza as informações sobre o pagamento do auxílio emergencial.

A Caixa Econômica Federal credita hoje (22) a primeira parcela do auxílio emergencial para beneficiários nascidos em janeiro. Os beneficiários entram no ciclo 1 do novo calendário de pagamento, que passou a ser organizado em ciclos de crédito na poupança social digital e saque em espécie.

Aqueles que vão receber a primeira parcela do auxílio emergencial no ciclo 1 fizeram o cadastro entre 17 de junho e 2 de julho. O crédito e o saque são escalonados pelo mês de aniversário.

Segundo esse calendário, nascidos em janeiro recebem no dia 22; em fevereiro, em 24 de julho; em março, 29 de julho; em abril, 31 de julho; em maio, 5 de agosto; em junho, 7 de agosto; em julho, 12 de agosto; em agosto, 14 de agosto; em setembro, 17 de agosto; em outubro, 19 de agosto; em novembro, 21 de agosto; e em dezembro, 26 de agosto. O saque em dinheiro será entre os dias 25 de julho e 17 de setembro.

Caixa bloqueia contas da poupança social por suspeita de fraude
Contas da poupança social da Caixa, usadas para pagamento do auxílio emergencial, foram bloqueadas por suspeita de fraudes. Os usuários do aplicativo Caixa Tem, usado para movimentar a conta, devem se apresentar em uma agência bancária, com documento de identidade para regularizar o cadastro.

Segundo a Caixa, a área de segurança do banco monitora continuamente as contas e os acessos e, em caso de suspeita, realiza o bloqueio preventivo.

LEIA TAMBÉM

  • Desemprego aumenta nos locais com mais casos de coronavírus nos Estados Unidos
  • [Ao Vivo] ‘Roda de Conversa’ sobre democracia nas redes sociais com Requião, Bertolino e Gregory
  • Paulo Pimenta pede à PGR reabertura de investigações sobre denúncia de Tacla Duran contra Lava Jato
  • Molon desmente Bolsonaro: “O governo fez de tudo para adiar o Fundeb e retirar dinheiro do Fundo”
  • Bolsonaro precisa se cuidar, um presidente da República já morreu numa pandemia

    O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) testou positivo pela terceira vez para Covid-19. Essa informação traz à memória o caso de Rodrigues Alves, o mandatário brasileiro que morreu em 1919 numa pandemia.

    O então presidente Rodrigues Alves contraiu a gripe espanhola, que assolava o país no período, e morreu no dia 16 de janeiro de 1919. Ele havia sido reeleito, mas não teve tempo para iniciar o segundo mandato.

    “O presidente Jair Bolsonaro segue em boa evolução de saúde, sendo acompanhado pela equipe médica da Presidência da República. O teste realizado pelo presidente no dia de ontem, 21, apresentou resultado positivo”, comunicou o Palácio do Planalto.

    Diferente do colunista da Folha, Helio Schwartsman, que disse torcer pela morte do presidente Bolsonaro. Eu torço para Bolsonaro viva para pagar pelo genocídio em curso.

    Além do presidente Bolsonaro, também torço pela saúde do ministro da Economia, Paulo Guedes, bem como dos presidentes da Câmara e do Senado.

    Esses senhores, a serviço da banca financeira, estão conduzindo o “rebanho” para o abatedouro.

    O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), dia desses advertiu sobre o fato de Bolsonaro tomar vermífugo para combater o coronavírus: “Isso pode matá-lo”.

    O presidente Jair Bolsonaro, negacionista militante, tem receitado a cloroquina para enfrentar a pandemia.

    Segundo a OMS, esses medicamentos exóticos têm levado muita gente para o caixão.

    Eu torço pela saúde de Bolsonaro e dos asseclas do mercado financeiro.