Veja como consultar saque de R$ 1.045 do FGTS na Caixa

Apesar do calote do governo federal, a Caixa liberou a consulta do valor e da data do saque emergencial do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), de até R$ 1.045 por trabalhador.

O Blog do Esmael vem retratando ao longo da semana que o governo Jair Bolsonaro, por opção política, resolveu dar calote em 60 milhões de trabalhadores brasileiros que deveriam receber hoje (15) o valor integral de R$ 1.045.

Para fazer caixa e priorizar bancos e especuladores, Bolsonaro e seu ministro Paulo Guedes (Economia) decidiram parcelar o FGTS até novembro –o que pode aprofundar a depressão na economia brasileira, já paralisada por falta de dinheiro.

Esclarecido os bastidores do calote, vamos à consulta.

O trabalhador pode consultar qual o valor do seu saque emergencial e quando o valor será creditado por meio do site fgts.caixa.gov.br ou por meio do Disque 111. A consulta poderá ser feita também pelo aplicativo FGTS e pelo Internet Banking da Caixa a partir de sexta-feira (19).

LEIA TAMBÉM


Calote no FGTS derruba Mansueto

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, que Deus o tenha!, caiu neste domingo (14). Ele era o responsável pelo controle do caixa do governo Jair Bolsonaro (sem partido).

A queda de Mansueto ocorre horas antes de o governo dar um megacalote em 60 milhões de trabalhadores brasileiros, que teriam direito a sacar emergencialmente R$ 1.045 do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) nesta segunda-feira (15).

A Caixa informou que o governo não tem dinheiro para honrar o compromisso, por isso divulgou ontem (13) um calendário de parcelamento até outubro, conforme divulgou o Blog do Esmael.

Por imposição legal, Mansueto deve cumprir quarentena e ir para a iniciativa privada.

O próximo da fila para cair é Paulo Guedes, ministro da Economia, chefe de Mansueto.

Guedes é quem manda no caixa do governo. É ele quem determina pagar ou dar calote, a exemplo desse do FGTS.

O ministro da Economia também é o responsável pelo agravamento da crise econômica no País, que foi potencializada pela pandemia de coronavírus.

Mansueto caiu, mas ainda falta cair Guedes.