Sara Winter, apoiadora de Bolsonaro, é transferida para penitenciária feminina de Brasília

A militante bolsonarista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, chefe do grupo “300 do Brasil”, de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, foi transferida nesta quarta-feira (17) para a Penitenciária Feminina de Brasília. Desde segunda (15) ela estava detida na Polícia Federal, com prisão temporária, pela realização de atos antidemocráticos contra o Congresso Nacional e o STF.

De acordo com o G1, secretário de Administração Penitenciária do DF, Adval Cardoso, afirmou que Sara Giromini vai ficar isolada em uma cela.

Na manhã de hoje a militante foi denunciada pelo Ministério Público Federal (MPF) por injúria e ameaça contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

LEIA TAMBÉM:

Weintraub sofre goleada no STF: 9 a 1 para continuar no inquérito das fake news

Governo da Bahia denuncia invasão de hospital por deputado bolsonarista; assista

Quartel da Saúde de Bolsonaro ameaça perseguir servidores nas redes sociais

Caso seja condenada, deverá repará-lo em valor mínimo de R$ 10 mil por danos morais.