Romero Jucá e Valdir Raupp viram réus na Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro

O ex-senadores emedebistas Romero Jucá (RR) e Valdir Raupp (RO) se tornaram réus em processo da Operação Lava Jato por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. A denúncia foi aceita no dia 18 de maio pelo juiz Luiz Antônio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, e divulgada nesta segunda-feira (15) pela força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF).

Outras quatro pessoas, entre elas o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, também se tornaram rés no processo.

Conforme a força-tarefa da Lava Jato, os crimes envolvem contratos celebrados entre a Transpetro, subsidiária da Petrobras, e as empreiteiras NM Engenharia e Odebrecht Ambiental.

LEIA TAMBÉM:
Agora vai! Moro será colunista do Antagonista

Senador Randolfe Rodrigues pede prisão e afastamento de Weintraub

Datena “pedala” durante entrevista de Bolsonaro na Band

A denúncia aponta que as empresas pagavam propina aos integrantes do MDB responsáveis pela nomeação e manutenção de Sérgio Machado na presidência da estatal. Em troca, ele garantia às empreiteiras a continuidade de contratos e futuros convites para licitações, segundo a denúncia.

O suposto esquema de corrupção mantido na Transpetro resultou em uma série de pagamentos ilícitos disfarçados de doações eleitorais oficiais ao partido entre 2008 e 2010 e em 2012, de acordo com o MPF.

Com informações do G1.