Ratinho vai decretar ‘lockdown’ no Paraná a partir de quarta-feira

Publicado em 29 junho, 2020

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD), vai decretar ‘lockdown’ no Paraná a partir desta quarta-feira, 1º de julho. A informação é do jornalista Marc Sousa, do portal Ric Mais.

Ratinho convocou uma reunião para a manhã desta terça-feira (30) para anunciar essas novas medidas restritivas nas cidades mais atingidas pelo novo coronavírus.

O ‘lockdown’ terá duração de 14 dias e poderá abranger as seguintes cidades paranaenses, que têm o maior número de casos e mortes:

  • Curitiba: 3.874 diagnósticos e 139 mortes;
  • Cascavel: 2.601 casos e 44 mortes;
  • Londrina: 1.359 casos e 73 mortes;
  • Maringá: 1.148 diagnósticos e 16 mortes;
  • Toledo: 656 casos e 9 mortes;
  • Cianorte: 440 diagnósticos e 4 mortes;
  • Pinhais: 374 casos e 9 mortes;
  • Foz do Iguaçu: 358 casos e 8 mortes;
  • Cornélio Procópio: 248 casos e 14 mortes;
  • Colombo: 292 casos e 10 mortes;
  • Piraquara: 280 diagnósticos e 11 mortes.

O Paraná tem 21.326 casos confirmados e 613 mortes confirmadas nesta segunda-feira, dia 29, segundo a Secretaria de Estado da Saúde.

Neste sexta-feira (26), o Ministério Público do Paraná pediu para que o judiciário decretasse o ‘lockdown’ nas localidades mais atingidas pela Covid-19.

A ação civil pública foi ajuizada conjuntamente pelas promotorias de Proteção à Saúde Pública dessas quatro regiões, afirmou a promotora de Saúde de Londrina, Susana de Lacerda.

A iniciativa de pedir o lockdown no Paraná partiu de procuradores de Justiça do MP em Londrina, Norte do estado.

O MP londrinense pede ainda ao judiciário que anule o decreto do governador Ratinho Junior (PSD), que, recentemente, autoriza a reabertura de alguns setores não essenciais da economia.

No último dia 19 de junho, o governador do Paraná delegou aos municípios a prerrogativa para abrir ou fechar o comércio, porém, fez algumas “recomendações” aos 399 prefeitos.

“Enquanto o discurso e orientação normativa não se atrelarem a medidas práticas garantidoras de distanciamento e de isolamento social, os índices de pacientes diagnosticados e de óbito somente irão aumentar”, diz a peça do MP, referindo-se ao aumento da taxa de ocupação de leitos de UTI adulto para Covid-19 no estado.

Lockdown é uma medida de bloqueio total que, em geral, inclui também o fechamento de vias e proíbe deslocamentos e viagens não essenciais.

Em maio passado, a Justiça do Maranhão decidiu impor um “lockdown” na capital São Luís, proibindo a circulação de pessoas, a não ser que ela se desse, por exemplo, para compra de alimentos, transporte de doentes ou realização de serviços de segurança.

Em nota, governo do Paraná jura que não é ‘lockdown’

O Governo do Paraná informa que está elaborando uma série de medidas para conter o avanço da Covid-19.

As medidas estão sendo discutidas em diversas instâncias do Executivo e serão apresentadas aos demais poderes do Estado.

A previsão é de que haja ampla divulgação das decisões nesta terça-feira (30).

O Governo do Estado antecipa que, diferente do que foi noticiado, não se trata de impor um lockdown em todo o Paraná.

LEIA TAMBÉM