Notícias ao vivo do Coronavírus: semana começa com 36,5 mil mortes e 692 mil casos

Segundo as secretarias estaduais de Saúde, o Brasil começa esta semana em 8 de junho com 692.363 casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) e 36.505 mortes confirmados.

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) resolveu desde a sexta-feira (5) omitir dados oficiais da doença, mas os governos estaduais resolveram lançar um site paralelo para divulgar informações sobre o avanço do vírus no País.

Neste domingo (7), à noite, o Ministério da Saúde divulgou dois balanços divergentes acerca da Covid-19.

No primeiro, apontou 37.312 mortes e 685.427 casos de coronavírus. No segundo, 36.455 mortes e 691.758 casos.

Questionado sobre a divergência nos números, o Ministério não informou a razão.

De acordo com as secretarias estaduais, esses são os números na manhã de hoje (08/06):

36.505 mortes
692.363 casos confirmados

LEIA TAMBÉM

Wizard não aguenta o tranco e pede para ‘sair’ do governo Bolsonaro

Brasil se une à Coreia do Norte e à Venezuela ao omitir dados da Covid-19

Homens carecas são mais vulneráveis à Covid-19, diz jornal britânico

Jair Bolsonaro provoca apagão no balanço global da Universidade Johns Hopkins

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) provocou um verdadeiro apagão no balanço global da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, sobre o coronavírus no Brasil.

Os dados brasileiros são importantes para que a instituição consiga totalizar o avanço da pandemia da Covid-19 pelo mundo. Até sexta-feira (5), no último levantamento da Johns Hopkins, o Brasil era país em segundo no ranking internacional de casos e em terceiro no de óbitos;

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, a decisão de excluir o Brasil do balanço global foi tomada após a omissão de dados do governo brasileiro. O levantamento da instituição americana é referência no acompanhamento da pandemia.

Em nota, neste sábado (6), o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) acusou o governo do presidente Jair Bolsonaro busca tornar invisíveis os mortos pela Covid-19 no país. O colegiado reúne os secretários de Saúde dos estados.

Paralelamente, à manifestação do Conass, a Defensoria Pública da União (DPU) afirmou que irá ajuizar uma ação na Justiça a fim de obrigar o governo a divulgar os dados completos da Covid-19 no País.

O portal do Ministério da Saúde começou a omitir o tal de mortes e de casos confirmados do novo coronavírus.

“Não pode qualquer chefe do poder executivo, federal, estadual ou municipal, escolher ou não tomar providências de enfrentamento ao coronavírus. Isto é um dever do administrador público. Do mesmo modo que é um dever informar correta e adequadamente à população não só sobre as medidas que as pessoas devem adotar para evitar sua contaminação e a dos demais, mas também todos os atos adotados pelo poder público no combate à disseminação da doença”, afirma um trecho do pedido da DPU.

Além disso, nessa guerra de números e de versões, o presidente Jair Bolsonaro determinou ontem (5) que os dados da doença sejam atualizados sempre após as 22h para evitar que os telejornais divulguem o aumento de mortes no Brasil.

O Jornal Nacional, da TV Globo, acionou seu “Plantão da Globo” na noite de ontem, às 21h45, para anunciar os novos casos e mortes por coronavírus. Teve mais audiência que na programa regular, ou seja, o tiro de Bolsonaro saiu pela culatra.