Lula critica governo Bolsonaro: “Não se ouve falar em investimento, desenvolvimento e distribuição de renda”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu que o Brasil já deveria ter rodado “dinheiro novo” para estimular a economia com investimentos públicos. É a tática que vem sendo adotada pelos países da Europa e os Estados Unidos no combate aos efeitos da pandemia. No governo Bolsonaro, “não se ouve falar em investimento, desenvolvimento e distribuição de renda”, afirmou.

“Você só ouve falar em legalizar e distribuir armas. Em vender cartuchos”, afirmou Lula em entrevista à Rádio Morada, de Araraquara, interior de São Paulo, nesta quarta-feira (10). Segundo o ex-presidente, o Brasil não precisa de armas, mas de carteira assinada e livros.

LEIA TAMBÉM:
Em nota, PSOL vê ‘expectativa positiva’ na ação contra Bolsonaro no TSE

Bolsonaro acaba com eleição direta para reitores de universidades federais

Bombeiro é preso por suspeita de envolvimento no assassinato de Marielle

Sobre o combate à covid-19, Lula destacou a fala do ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazzuello, que afirmou que as regiões Norte e Nordeste do país sofreram mais com a disseminação da doença porque têm o clima similar ao dos países do hemisfério norte.

“Eles não conhecem absolutamente nada deste país. Não conhecem absolutamente nada de saúde pública”, criticou Lula. Em vez de buscar o apoio de especialistas, Bolsonaro “prefere continuar cometendo erros”.

Segundo o ex-presidente, o ministro da Economia, Paulo Guedes também não está à altura do cargo que ocupa. “Não existe possibilidade de nenhum país crescer se aumenta o empobrecimento. É preciso ter credibilidade e previsibilidade. Bolsonaro e Guedes não oferecem nenhuma das duas. A única coisa que o Guedes quer é vender as empresas públicas para pagar juros ao sistema financeiro.”

Política externa
Lula também criticou as animosidades criadas por Bolsonaro com tradicionais parceiros comerciais do Brasil, como a China e a Argentina, e o alinhamento automático com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

“O negócio dele é falar mal dos outros e criar inimigos. Por que falar mal da China, que é o nosso maior parceiro comercial? Bolsonaro pensa que Trump vai fazer favor para o Brasil. E não vai. Americano pensa nele, depois nele, depois nele. Ele precisa parar de ser cão vira-lata abanando o rabo para o Trump”.

Política interna
O ex-presidente também destacou avanços durante o seu governo no combate à corrupção, com o fortalecimento das ferramentas de controle e investigação. Lembrou que até o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro destacou a autonomia da Polícia Federal (PF) nas gestões do PT. E voltou a desafiar o ex-juiz, bem como os integrantes da força-tarefa da Lava Jato, a provarem o crime por ele cometido, já que foi condenado com base em “fatos indeterminados”.

Confira a íntegra da entrevista:


por RBA