Jornalista alemão aponta semelhanças dos 300 de Sara Winter com nazistas

Publicado em 1 junho, 2020

O jornalista alemão Niklas Franzen trabalhou na cobertura do grupo 300 do Brasil, liderado pela bolsonarista Sara Winter.

Segundo Niklas, as semelhanças entre o grupo e o nazismo não são coincidência: “Sou jornalista alemão e acompanho os 300 do Brasil. O grupo tem várias semelhanças com a extrema-direita européia, é liderado por @_SaraWinter, que já teve a cruz de ferro tatuada e agora marchou com tochas iguais a nazistas na Alemanha. Não é coincidência. Esse grupo é fascista.”

LEIA TAMBÉM
Marcos Coimbra, dono do Vox Populi, afirma que houve fraude na eleição de Bolsonaro

PSOL denuncia o ministro da Justiça na Comissão de Ética da Presidência

“Intervenção militar é isso que já está aí”, critica em vídeo Roberto Requião

Em um longo artigo para a Agência Pública, Niklas Franzen faz um raio x profundo do movimento e apresenta várias referências estéticos e de discurso dos 300 com grupos neonazistas da Europa. As semelhanças estão nas roupas, bandeiras, usos de tochas, marcha militarizada, além da própria fala de Sara e de seus companheiros.

Vale lembrar que o governo Bolsonaro emprestou sua solidariedade à Sara Winter ao pedir em habeas corpus impetrado pelo ministro da Justiça pedindo a suspensão do inquérito que investiga Sara Winter entre outros por notícias falsas e ameaças.

A reportagem da Agência Pública pode ser lida aqui.

David Miranda sobre grupo de Sara Winter: “300 não reúnem nem 30”

A bolsonarista Sara Winter e sua milícia fascista chamada 300 virou motivo de indignação e piada na internet por causa de uma marcha com um grupo pequeno, de cerca de 30 pessoas.

A marcha feita na noite deste sábado (30) terminou em frente ao Supremo Tribunal Federal em um protesto por causa da busca e apreensão feitas contra Sara pela Polícia Federal.

O deputado David Miranda (PSOL-RJ) foi um dos que percebeu o real tamanho da manifestação feita pelo grupo. Ele escreveu:

“Não reúnem nem 30. É preciso expor pra que a gente saiba qual a real dimensão desse chorume. E é bom lembrarmos: com o fascismo não há diálogo. Esses criminosos deveriam estar na cadeia!” 

Alguns internautas, como Jeff Nascimento, perceberam a semelhança com o nazismo e a Ku Klux Klan:

Sérgio Moro ironiza Sara Winter: “O único inverno chegando é o das 4 estações”

O ex-juiz Sérgio Moro ironizou a bolsonarista Sara Winter e seu grupo dos 300 que fez uma manifestação inspirada na Ku Klux Klan na noite deste sábado (30) em frente ao STF.

Moro escreveu: “Tão loucos mas, ainda bem, tão poucos. O único inverno chegando é o das quatro estações.”

A referência ao inverno vem do nome “artístico” de Sara. Winter significa inverno em inglês.

Faltou Moro dizer que fez parte disso tudo, ajudou a eleger Bolsonaro e só pulou do barco há um mês. Ou seja, não tem moral nenhuma para criticar.

Já a deputada Sâmia Bomfim, com moral para criticar, escreveu: “Além de aulas de história, precisam também de aulas de matemática. Tá mais pra 30 do que pra 300 esse grupelho de vermes nazistas. “

Bolsonaro reclama de ‘fake news’ e cogita ‘comprar’ a imprensa

O presidente Bolsonaro voltou a atacar a imprensa em postagem feita em sua página do Facebook neste domingo (31).

Ele afirmou que “o maior dos FAKE NEWS é o ‘gabinete do ódio’ inventado pela imprensa.”

E continua:

“- Até o momento a Folha, Globo, Estadão… não apontaram uma só Fake News produzida pelo tal “gabinete.”
– Por outro lado, essa mesma mídia podre produz, diariamente, dezenas de Fake News contra o Presidente.
– O caso da “interferência na PF” é um dos mais claros. A dita dita fita bomba foi mais um fiasco. O “caso porteiro” também…
– Agora investem no julgamento do TSE sobre “disparos em massa” de mensagens por ocasião da campanha.
– Falam em disparos mas não apontam uma só mensagens disparada contra quem quer que seja.”

Bolsonaro arremata cogitando “negociar” com a imprensa alguns “BILHÕES DE REAIS”:

“- Será que, se eu chamar essa imprensa e negociar com ela alguns BILHÕES DE REAIS em propaganda, tudo isso se acaba?”

A existência do “gabinete do ódio” já está mais que comprovada por diversos especialistas do mundo todo que identificaram milhares de contas falsas, os chamados robôs, que atuam nas redes sociais disseminando conteúdo de apoio a Bolsonaro e de ataque aos inimigos.

Todo esse discurso do presidente visa acirrar ânimos e tentar “melar” as investigações que estão sendo conduzidas pelo Supremo Tribunal Federal.

A atuação do ministro da Justiça, André Mendonça, na defesa dos indiciados no inquérito do STF prova o apoio do governo para a atuação desses propagadores de notícias falsas.

Mesmo que o aceno de Bolsonaro no sentido de “comprar” a imprensa seja uma ironia… ele não deixou isso claro. Do jeito que está colocado, é crime.