Indiferente à Covid-19, Bolsonaro orienta seguidores a invadirem hospitais para filmar leitos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em mais uma atitude irresponsável, orientou seus seguidores a invadirem hospitais para filmar suposta folga no sistema de saúde nesse período de pandemia de Covid-19.

Bolsonaro afirmou numa live transmitida na noite desta quinta-feira (11) que há “ganho político” em aumento do número de mortes e que ninguém no País perdeu a vida por falta de respirador ou leito.

“Pode ser que eu esteja equivocado, mas na totalidade ou em grande parte ninguém perdeu a vida por falta de respirador ou leito de UTI. Pode ser que tenha acontecido um caso ou outro. Seria bom você, na ponta da linha, tem um hospital de campanha aí perto de você, um hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente tá fazendo isso, mas mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não, se os gastos são compatíveis ou não.”

O presidente da República prometeu repassar os dados coletados por seus apoiadores para Polícia Federal e para a Agência Brasileira de Inteligência investigarem.

LEIA TAMBÉM
The Guardian: bolsonarista profana memorial de 40 mil vítimas de coronavírus no Brasil

Notícias ao vivo do Coronavírus: João Doria anunciou a vacina, mas não entregou o que prometeu

Brasil ultrapassa as 40 mil mortes por Covid-19 no feriado de Corpus Christi

Bolsonaro coloca em risco, novamente, as pessoas ao orientá-las a entrar em locais infectados pela Covid-19. São grandes as chances de um apoiar ser contagiado no afã de cumprir a ordem do capitão.

A jornalista Manuela d’Ávila (PCdoB), que disputou a vice na chapa de Fernando Haddad (PT), em 2018, classificou de “criminosa” a atitude do presidente da República. “Esse homem tem que ser parado”, recomendou.

“Criminoso!!!!! Sugerindo que as pessoas entrem em áreas contaminadas, “arranjando uma maneira de entrar”. Já incentivou abrirem caixões, já vimos agressões de profissionais de saúde. Esse homem tem que ser parado! Fora, Bolsonaro!”, escreveu Manu, postando um fragmento da live de Bolsonaro.

Para o deputado Alexandre Padilha (PT-SP), ex-ministro da Saúde, Bolsonaro agrediu ontem as mais de 40 mil vítimas fatais e os profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus, ao incitar pessoas a gravarem leitos de hospitais.

As autoridades sanitárias brasileiras calculam que faltam aproximadamente 19 mil leitos de UTI para atender pacientes de covid-19 em situação grave.

A sugestão de Bolsonaro de invasão e filmagens em locais restritos fere o direito à intimidade, dignidade e confidencialidade de tratamento do paciente.

De acordo com profissionais da saúde, é grande a probabilidade de uma pessoa ser infectada se adentrar num ambiente hospitalar desprotegida e sem autorização às áreas restritas.

Nesta sexta-feira (12), o Brasil tem 41 mortos e 800 mil casos de covid-19 confirmados.

Assista ao trecho da live: