Gleisi diz que é melhor cassar a chapa Bolsonaro e Mourão

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), defendeu nesta sexta-feira (5) que a chapa de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão seja cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na semana que vem.

A petista contestou Mourão, que afirmou serem “liberdade de expressão” os atos pedindo golpe militar e “baderna” as manifestações contra o fascismo.

“Bolsonaro e Mourão são iguais”, disse Glesi. “Por isso a melhor saída é cassar a chapa, tirar os dois e inclusive Guedes com seu neoliberalismo nefasto antipovo.”

“Depois de chamar antifascistas de baderneiros, Mourão diz que atos pedindo golpe militar são “liberdade de expressão”. Não se esqueçam: Bolsonaro e Mourão são iguais! Por isso a melhor saída é cassar a chapa, tirar os dois e inclusive Guedes com seu neoliberalismo nefasto antipovo”, escreveu no Twitter a presidenta do PT.

A cassação da chapa completa pelo TSE seria alternativa ao impeachment [na Câmara] só do presidente Bolsonaro. Essa saída política [do impedimento] beneficiaria Mourão, que assumiria o Palácio do Planalto.

Gleisi Hoffmann também reagiu às ordens de Bolsonaro para reprimir as manifestações Antifa deste domingo (7). Ela culpou o presidente da República, antecipadamente, se ocorrer algum ato de violência.

“Xingando manifestantes de marginais e mais coisas, Bolsonaro ordena antecipadamente a repressão às manifestações no domingo. Ele vai aprontar. Por isso deixamos claro: Qualquer coisa que acontecer neste domingo você será responsável Bolsonaro! A culpa será sua”, apontou a dirigente petista.

O PT pediu ao ministro Ong Fernandes do TSE, que aproveite o inquérito das fake news no Supremo Tribunal Federal para o julgamento da chapa Bolsonaro e Mourão na próxima terça-feira, dia 9 de junho.

Além desse julgamento, há outras oito ações sobre fraude eleitoral da chapa Bolsonaro-Mourão, eleita em 2018.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro diz que manifestantes pró-democracia são ‘marginais, terroristas, desocupados e maconheiros’

‘Uma morte, uma loja virtual’

Abatido, Weintraub vai deixar a Educação para disputar a Prefeitura de São Paulo

Trump “comunista” disse que EUA teriam 2,5 milhões de mortos por Covid-19 se tivessem agido como Brasil

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (5) que seu país poderia ter tido 2,5 milhões de mortos por coronavírus se tivesse agido como o Brasil.

Por causa da declaração do presidente americano, o “gabinete do ódio” bolsonarista não perdeu a chance de rotulá-lo de “comunista” nas redes sociais. O assunto é um dos mais discutidos desta tarde no Twitter.

“Acho que todos acreditam que o mínimo que seríamos atingidos, como eles dizem… Se você olhar para o Brasil, eles estão passando por dificuldades. A propósito, eles estão seguindo o exemplo da Suécia, que também está passando por dificuldades terríveis. Se tivéssemos agido assim, teríamos perdido um milhão, um milhão e meio, talvez dois milhões e meio de vidas ou até mais”, disse Trump.

A fala do presidente americano teve forte impacto nos meios sanitários e político brasileiro. O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) fez questão de registrar:

“Trump acaba de dar uma forte pancada em Bolsonaro! Disse que, se tivesse agido como o Brasil, os EUA chegariam a 2,5 milhões de mortos. Até o aliado de Bolsonaro reconhece a desgraça que é o governo! Bolsonaro envergonha o Brasil. Precisamos voltar a ser um bom exemplo pro mundo”, afirmou o parlamentar socialista.

O Brasil chegou a terceiro país com mais mortes no mundo 79 dias depois do registro da primeira vítima da Covid-19, em 17 de março. O país acumula 34.021 vidas perdidas durante a pandemia e está atrás apenas do Reino Unido e dos Estados Unidos.

Nesta sexta, são 621.877 casos do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no Brasil, segundo as secretarias de saúde e o Ministério da Saúde.

Assista ao trecho da fala de Trump: