Gilmar Mendes ameaça Jair Bolsonaro com até 40 anos de prisão

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ameaçou enquadrar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no crime de genocídio cuja pena de prisão pode chegar até 40 anos, pena máxima prevista na Lei Anticrime sancionada por ele [Bolsonaro] e o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro –em vigor desde janeiro de 2020.

Gilmar disse que a manipulação de dados estatístico sobre o novo coronavírus, impossibilitando ações concretas da autoridades sanitárias brasileiras, não irão isentar o presidente da República de eventual crime de genocídio.

Genocídio é tipificado na Lei 2.889/1956 e pelos artigos 121, 129, 270, 125 e 148 do Código Penal Brasileiro, qual seja, são dispositivos que descrevem as hipóteses dos ilícitos de homicídios qualificados e lesão corporal de natureza grave.

“A manipulação de estatísticas é manobra de regimes totalitários”, escreveu o ministro, em tom de severidade.

Para Gilmar Mendes, a prática é uma tentativa de o governo federal ocultar os números da #COVID19 para reduzir o controle social das políticas de saúde.

“O truque não vai isentar a responsabilidade pelo eventual genocídio”, ameaçou o ministro do STF.

O ministro Gilmar Mendes fez a ameaça no Twitter com ar de promessa. Tanto é que ele usou duas hashtags ‘#CensuraNao’ e ‘#DitaduraNuncaMais’ para marcar o texto nas redes sociais.

Aliás, após a censura dos dados sobre a Covid-19, Jair Bolsonaro foi chamado nas redes sociais de “ditador” e comparado com o presidente norte-coreano Kim Jong-un.

A censura de Bolsonao provocou um verdadeiro apagão no balanço global da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, sobre o coronavírus no Brasil.

Os dados brasileiros são importantes para que a instituição consiga totalizar o avanço da pandemia da Covid-19 pelo mundo. Até sexta-feira (5), no último levantamento da Johns Hopkins, o Brasil era país em segundo no ranking internacional de casos e em terceiro no de óbitos.

LEIA TAMBÉM

Notícias ao vivo da Covid-19: Jair Bolsonaro provoca apagão no balanço global da Universidade Johns Hopkins

Governo Bolsonaro quer esconder número de mortos por Covid-19, dizem secretários de Saúde

Homens carecas são mais vulneráveis à Covid-19, diz jornal britânico

Curitiba tem ato pela democracia e contra o racismo neste domingo; adesão ao movimento é intensa nas redes sociais

Curitiba, como diversas capitais e cidades do país, tem ato pela democracia e contra o racismo neste domingo (7). A adesão ao movimento é intensa nas redes sociais neste sábado.

A manifestação convocada pelas redes sociais, por coletivos de movimentos antirracistas, grupos antifas, militantes políticos e ativistas sociais vai protestar contra a escalada fascista do governo Bolsonaro, contra o racismo e pela democracia.

Os organizadores do movimento orientam para que os participantes do ato sigam as recomendações de proteção como o uso de máscaras, alcool gel e distanciamento de 1,5 m entra as pessoas, evitando uma maior aglomeração durante a atividade.

SERVIÇO:
ATO PELA DEMOCRACIA, CONTRA O RACISMO, FORA BOLSONARO
DOMINGO – 7 DE JUNHO – ÁS 15H
CONCENTRAÇÃO – PRAÇA SANTOS ANDRADE
LEVE MÁSCARA E ALCOOL GEL

Movimento pró-democracia anuncia novo local de manifestação em SP

Após a decisão da Justiça de São Paulo que proibiu a realização de atos de grupos antagônicos na Avenida Paulista neste domingo (7), os movimentos Somos Democracia, Ato Urgente SP e Frente Povo Sem Medo divulgaram uma nota informando que transferiram a manifestação pró-democracia em São Paulo para o Largo do Batata às 14 horas.

Confira a íntegra da nota:

NOTA SOBRE AS MANIFESTAÇÕES PELA DEMOCRACIA NO DOMINGO

Na noite de sexta-feira o Tribunal de Justiça de São Paulo, proferiu decisão que proíbe a realização de atos no domingo dia 07/06 na Av. Paulista.

Nós, torcedores articulados no Movimento Somos Democracia, ativistas do movimento negro e da Frente Povo Sem Medo entendemos que essa decisão atenta à liberdade de manifestação. Apesar disso, para garantia da integridade física dos manifestantes, comunicamos a decisão de mudança do local do ato em São Paulo para o Largo da Batata às 14h.

Reforçamos todas as medidas sanitárias que estão sendo tomadas até aqui, como a criação de uma brigada de saúde para orientação dos manifestantes, a distribuição gratuita de máscaras e álcool gel e o reforço do distanciamento de pelo menos 1,5 m durante a manifestação.

Não vamos aceitar censura nem intimidação! Estaremos nas ruas em defesa da democracia, contra o fascismo e o racismo. TODOS E TODAS AO LARGO DA BATATA!

Somos Democracia

Frente Povo Sem Medo

Ato Urgente SP – Vidas Negras Importam