Deu no New York Times: número de mortos no Brasil por coronavírus é o segundo mais alto do mundo

O jornal americano New York Times, o maior do mundo, afirma neste sábado (13) que os surtos no Brasil e na Índia atingiram novos níveis marcantes.

De acordo com a publicação, o surto de coronavírus no Brasil passou por um marco sombrio hoje, ultrapassando o Reino Unido e registrando o segundo maior número de mortos no mundo depois dos Estados Unidos, segundo uma contagem do New York Times.

Na manhã de sábado, o Brasil havia reconhecido 41.828 mortes por vírus. O número para os Estados Unidos era de 114.752 e para o Reino Unido, 41.481. O número diário de mortes no Brasil é agora o mais alto do mundo, contrariando a tendência de queda que está permitindo a reabertura de muitas outras grandes economias.

Enquanto isso, a Índia ultrapassou o Reino Unido como o país com o quarto maior número de casos em todo o mundo, depois de ter experimentado os mais novos casos em um único dia na sexta-feira, de acordo com a contagem do Times.

Houve pelo menos 308.900 casos confirmados de coronavírus na Índia, segundo o Ministério da Saúde e Bem-Estar . Na manhã de sábado, 8.884 pessoas haviam morrido.

LEIA TAMBÉM

O país instituiu um dos bloqueios mais rigorosos do mundo no final de março, mas recentemente suspendeu a maior parte de suas medidas de bloqueio, em um esforço para aliviar a pressão sobre a economia.

No Brasil, especialistas apontam a rejeição do presidente Jair Bolsonaro ao consenso científico emergente sobre como combater a pandemia – incluindo a promoção de remédios não comprovados, como os medicamentos cloroquina e hidroxicloroquina – como um dos fatores que ajudaram a inclinar o país para sua saúde atual crise.

Bolsonaro sabotou as medidas de quarentena adotadas pelos governadores, incentivou manifestações em massa e descartou repetidamente o perigo do vírus. Ele afirmou que o vírus era uma “gripezinha” e pessoas com passado de “atleta”, como ele, eram impermeáveis ​​à doença.

No início desta semana, seu governo parou de divulgar estatísticas abrangentes de coronavírus, embora os dados tenham sido restaurados após uma ordem do Supremo Tribunal Federal.

As informações são do New York Times, com tradução do Blog do Esmael.