Decotelli ‘flopou’ e governo já procura novo titular para o MEC

Publicado em 29 junho, 2020

O governo Bolsonaro passou a procurar nomes para substituir Carlos Alberto Decotelli, que foi nomeado ministro da Educação na semana passada e teve a posse adiada por causa de fraudes em seu currículo, segundo informação do ‘O Estado de São Paulo’.

Decotelli já perdeu apoio dos militares e o grupo vinculado ao jornalista Olavo de Carvalho se mobiliza para apresentar um nome para a pasta.

A nota da Universidade de Wupertal divulgada nesta segunda-feira (29) informando que Decotelli não obteve o título de pós-doutorado na instituição praticamente inviabilizou a posse no MEC do ministro indicado pelos militares.

Nesta segunda, Decotelli tentou “arrumar” a lambança alterando o currículo na plataforma Lattes para excluir a citação de pós-doutorado na Wupertal, o que só piorou a situação dele.

LEIA TAMBÉM:

Oposição solicita troca de relator do pedido de cassação de Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara

Folha publica powerpoint sobre elo dos Bolsonaro com Queiroz e as milícias no Rio

Pandemia da Covid-19 “não está nem perto de terminar”, diz diretor-geral da OMS

Entidades do setor educacional e científico cobram a indicação de um nome com perfil acadêmico reconhecido e com capacidade de gestão.

Após Ricardo Vélez Rodrigues, Abraham Weintraub e Decotteli é difícil acreditar numa indicação de qualidade para o Ministério da Educação pelo governo Bolsonaro. A ver…

Novo ministro da falta de Educação deve cair antes de assumir

A posse do novo ministro da falta de Educação, Carlos Alberto Decotelli, que seria nesta terça-feira (30), foi suspensa e pode nem acontecer. Ou seja, Decotelli pode cair antes de assumir.

O motivo são os indícios de falsidade ideológica no currículo do futuro ex-ministro.

Tudo começou quando o reitor da Universidade Nacional de Rosário, na Argentina, desmentiu a titulação de doutorado de Decotelli. Como não tem doutorado, surgiu a suspeita de que o pós-doutorado dele também seria ficção, o que acabou se confirmando

Por fim, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) anunciou que vai investigar a suspeita de plágio na monografia do mestrado do novo ministro.

Ou seja, se bobear, mal sobra a graduação para o currículo de Decotelli. Logo na Educação…

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República vai investigar o currículo do ministro, e caso as fraudes se confirmem, ele deve ter a nomeação revogada.

Triste Brasil.