Covid-19: Brasil é um fator de ampliação do número de contágio nas Américas, diz Opas

Os casos de coronavírus estão crescendo nas Américas, na avaliação de Carissa F. Etienne, diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para as Américas. Ela fez a afirmação em entrevista coletiva nesta terça-feira (16).

“Atualmente os EUA concentram 54% de todos os casos das Américas, Brasil concentra 23% de casos e 21% de todas as mortes. Não estamos vendo uma desaceleração de contágio”, argumentou Carissa Etienne.

Segundo a diretora da Opas, preocupa a entidade as regiões de fronteira. Ela citou a escalada de casos nos estados brasileiros do Norte que fazem fronteira com a Guiana Francesa e Suriname. Etienne sugeriu que os países lidem com a pandemia de forma conjunta.

LEIA TAMBÉM:

Em baixa, Bolsonaro leva chinelada até da Venezuela

“Quem matou Bolsonaro?” Inquérito é arquivado pela Justiça Federal

STF quebra sigilo bancário de 11 parlamentares bolsonaristas; confira os nomes

“Há contágio ativo em estados do norte do Brasil que fazem fronteira com Guiana e Suriname”, afirmou Etienne. “Guiana passou de 140 casos a 1.326 em um mês, período que coincide com aumento de contágios nos estados que fazem fronteira no Brasil e aumento de casos no Suriname”, afirmou.

A preocupação se estende pelo fato de que antes da Covid-19, os estados brasileiros fronteiriços a outros países já abrigavam populações vulneráveis, como indígenas, comunidades remotas e refugiados. Etienne relata que a região precisa ser observada com atenção, porque abriga poucos hospitais, e tem laboratórios e clínicas médicas pequenos.