Coronavírus: Bolsonaro diz esperar reabertura rápida após declaração da OMS sobre assintomáticos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta terça-feira (9) que espera uma “reabertura mais rápida” após a declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que a disseminação assintomática do coronavírus é “muito rara”. Para ele, o “pânico que foi pregado lá atrás pela grande mídia pode agora começar a se dissipar”.

“Ontem a OMS também disse que a transmissão de pessoas assintomáticas é praticamente zero. Muitas lições serão tomadas. Isso pode sinalizar a uma abertura mais rápida e do comércio e a extinção de medidas mais rígidas autorizadas pelo STF e por prefeitos e governos estaduais. O governo federal não participou disso. Vai ter muita discussão”, afirmou Bolsonaro durante a 34ª reunião do conselho de governo.

“Esse pânico que foi pregado lá atrás por parte da grande mídia começa talvez a se dissipar levando em conta o que a OMS falou por parte do contágio dos assintomáticos”, completou o presidente.

LEIA TAMBÉM:
STF enquadra Bolsonaro e obriga governo divulgar dados acumulados da Covid-19

A imprensa não é muito confiável para divulgar dados paralelos da Covid-19

Na véspera do julgamento, redes sociais pedem a cassação da chapa Bolsonaro e Mourão

Nesta segunda-feira (8), a chefe da unidade de doenças emergentes da OMS, Maria Van Kerkhove, disse que é “rara” a disseminação do novo coronavírus por pessoas assintomáticas.

“A partir dos dados que temos, ainda parece ser raro que uma pessoa assintomática realmente transmita adiante para um indivíduo secundário”, declarou Van Kerkhove em entrevista na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). “É muito raro”.

Porém, Van Kerkhove afirmou que são necessárias mais pesquisas e dados para “responder verdadeiramente” à questão.

Com informações do Uol.