Brasília em transe: Carreata contra Bolsonaro e Sara Winter invadindo o Congresso; assista

O sábado está animado na Capital Federal. Uma grande carreata percorre a cidade pedindo que Bolsonaro seja removido da presidência. No outro extremo, Sara Winter e seus 300 (que são uns 30) “invadem” o Congresso Nacional.

O deputado José Guimarães (PT-CE) compartilhou um vídeo da carreata. Confira:

Já a milícia de Sara Winter teve o acampamento desmontado pela Polícia Militar do Distrito Federal e resolveu tentar invadir o Congresso. Confira o vídeo:

Só mais um sábado normal na Brasília de Bolsonaro.

Polícia ‘chuta a barraca’ de Sara Winter no DF

O acampamento do grupo bolsonarista 300 do Brasil localizado na Esplanada dos Ministérios foi fechado na manhã deste sábado (13) pelo governo do Distrito Federal. A decisão atendeu a um pedido do Ministério Público, que solicitou o desmanche do acampamento por causa da pandemia de Covid-19.

A ação de retirada foi feita pelo programa DF Legal, como é chamada a Secretaria de Estado de Proteção da Ordem Urbanística do Distrito Federal, e contou com apoio da Polícia Militar (PM).

LEIA TAMBÉM:

Sara Winter, líder do grupo, disse em seu Twitter que o acampamento foi tomado à força e pediu uma reação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O grupo é chamado pelo Ministério Público de “milícia armada”. Sara confessou recentemente que o grupo conta com proteção de pessoas armadas. “Em nosso grupo, existem membros que são CACs (Colecionador, Atirador e Caçador), outros que possuem armas devidamente registradas nos órgãos competentes. Essas armas servem para a proteção dos próprios membros do acampamento e nada têm a ver com nossa militância”, disse Sara em entrevista à BBC News Brasil.

Além de ter entre seus membros gente que defende o fechamento do Congresso e do STF, líderes do movimento dizem que um de seus principais obejtivos é “exterminar a esquerda”. O grupo, que se organizou por redes sociais e aplicativos de conversa, também conta com apoio de parlamentares alinhados ao governo.

Assista ao vídeo:

Com informações do Congresso em foco.

Manifestantes escrevem ‘Impeachment já’ no gramado do Congresso e pressionam Maia

Manifestantes favoráveis ao impeachment do presidente Jair Bolsonaro escreveram na manhã deste sábado (13) no gramado do Congresso Nacional a palavra de ordem “Fora Bolsonaro”. Eles pedem que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), instale comissão para iniciar o processo de impeachment de Bolsonaro.

Na Câmara, já foram protocolados por entidades e cidadãos mais de 40 pedidos de impeachment. Maia resiste encaminhar os pedidos de impeachment e barganha com o governo Bolsonaro via Centrão.

Neste domingo (14), um ato no Rio em frente ao apartamento de Rodrigo Maia pede a abertura imeadiata do impeachment.

LEIA TAMBÉM

Ato ‘protocola Maia’ no Rio pede início do impeachment de Bolsonaro

Defensores do impeachment do presidente Jair Bolsonaro divulgaram nesta sexta-feira (12) um vídeo em que anunciam a realização de uma manifestação no domingo em frente à casa do presidente da Câmara dos Deputados, no bairro de São Conrado, zona Sul do Rio de Janeiro.

“Neste momento, existem 38 pedidos de abertura de impeachment contra Bolsonaro nas mãos de Rodrigo Maia. Se você também é contrário a este governo, participe do ato pacífico no próximo domingo, dia 14, às 11h da manhã, em frente à residência do presidente da Câmara dos Deputados”, diz vídeo publicado pelo grupo denominado #ProtocolaRodrigoMaia.

Os manifestantes afirmam que o ato é suprapartidário e recomendam que os participantes da mobilização usem máscaras, álcool em gel e respeitem o distanciamento social de 2 metros.

Rodrigo Maia tem segurado os mais de 40 pedidos de impeachment protocolados na Câmara por diversas entidades e cidadãos nos últimos meses.