Bolsonaro tosse três vezes durante live desta quinta-feira

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), abatido e tossindo, falou na sua tradicional live na noite desta quinta-feira (18) sobre a prisão de Fabrício Queiroz. Mas frustrou a torcida ao não ser convincente sobre o envolvimento Frederick Wassef, advogado da família, no Caso Queiroz; a prisão e quebra de sigilos bancários de aliados; e a demissão de Abraham Weintraub do MEC.

Durante a transmissão, o presidente tossiu seco três vezes, levando a mão à boca.

Segundo a etiqueta nesses tempos de coronavírus, deve-se cobrir a boca com o braço dobrado usando o antebraço, e nunca as mãos.

O Blog do Esmael transmitiu esta noite a live do presidente Jair Bolsonaro ao vivo para o Brasil e o mundo.

Bolsonaro tinha muito a explicar nessa live, pois hoje foi preso Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e amigo da família. E o fez, em parte.

Queiroz é acusado pelo MP do Rio de operar “rachadinhas” no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro na Alerj. Ele foi preso em um sítio do advogado Frederick Wassef.

Segundo o presidente, a prisão de Fabrício Queiroz foi “espetaculosa” e parecia que estavam prendendo “o maior bandido da face da terra”.

“O Queiroz não estava foragido e não havia nenhum mandado de prisão contra ele. Foi feita uma prisão espetaculosa”, afirmou Bolsonaro.

De acordo com a lenda, Wassef foi quem “inventou” Bolsonaro por volta de 2014.

“E por que estava naquela região de São Paulo? Porque é perto do hospital onde faz tratamento de câncer. Então, esse é o quadro e da minha parte está encerrado o caso Queiroz”, disse o presidente, sobre o fato de Fabrício Queiroz ter sido encontrado num sítio em Atibaia (SP).

Assista a íntegra da live: