Bolsonaro ameaça retirar Brasil da OMS

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou na noite desta sexta-feira (5) que pode retirar o Brasil da Organização Mundial de Saúde (OMS) se a instituição continuar trabalhando com “viés ideológico”.

“A adianto aqui: os Estados Unidos saíram da OMS, a gente estuda no futuro. Ou a OMS trabalha sem o viés ideológico, ou nós vamos estar fora também. Não precisamos de gente de fora dar palpite na saúde aqui dentro”, declarou o presidente em uma entrevista na portaria do Palácio da Alvorada.

LEIA TAMBÉM:
Plantão da Globo: Brasil tem 35.206 mortes e 645.771 casos de coronavírus

Witzel libera geral no Rio: futebol, bares, restaurantes e shoppings

CNN Brasil sai do armário e se assume bolsonarista

Na entrevista, o Bolsonaro também citou o fato de a OMS ter voltado atrás nesta semana na decisão de interromper seus testes com a cloroquina no tratamento de Covid-19, e relacionou a decisão com o corte do financiamento à organização promovido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Bolsonaro e Trump são defensores do uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para tratar doença, apesar da falta de eficácia comprovada.

Ao ser questionado sobre as declarações de Trump de que o Brasil era um mau exemplo no combate à pandemia, Bolsonaro respondeu: “É meu amigo, é meu irmão. Falei com ele essa semana. Tivemos uma conversa maravilhosa. Um abraço, Trump. O Brasil quer cada vez mais aprofundar o nosso relacionamento. Torço para que seja reeleito.

Ontem (5), Trump declarou que se tivesse adotado a mesma estratégia do Brasil no combate ao novo coronavírus, hoje os Estados Unidos poderiam ter até 2,5 milhões de mortos.

Com informações do Portal Terra.