[AO VIVO]: Fim da eleição para reitor nas universidades federais. Que fazer?

É sobre isso que o Blog do Esmael conversa nesta quarta (10) com o professor Paulo Opuska, secretário-geral licenciado da APUFPR (Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná).

A comunidade universitária brasileira foi surpreendida hoje, pelo Diário Oficial da União, com a edição da Medida Provisória 979, pelo presidente Jair Bolsonaro, que extingue a possibilidade de eleição direta para reitor durante a pandemia da Covid-19.

No Brasil, o período especial [de calamidade pública] está vigorando desde março e se encerra no dia 31 de dezembro próximo.

Paulo Opuska é professor de Direito da UPFPR e dirigente licenciado da APUPFR, entidade representativa dos docentes da Universidade Federal do Paraná.

Debate ao vivo [a partir das 16 horas, aguarde o início da transmissão]:

LEIA TAMBÉM
Margarida Salomão contesta MP de Bolsonaro que interfere na eleição de reitores das universidades federais

Bolsonaro acaba com eleição direta para reitores de universidades federais

Sergio Moro, ameaçado de impugnação, poderá advogar, diz presidente da OAB

Regina Duarte termina “casamento” com Bolsonaro: “Deu-se! #ufa”

A atriz Regina Duarte fez uma novela para entrar no governo de Jair Bolsonaro. Primeiro anunciou namoro, depois noivado e casamento. A saída não poderia ser diferente. Nesta quarta-feira (10), o Diário Oficial da União traz a publicação da sua exoneração da Secretaria Especial de Cultura.

Em sentido figurado, como a atriz da Globo usou nessa novela, o fim do “casamento” ocorreu de forma litigiosa.

“Deu-se! #ufa”, desabafou a atriz.

Bolsonaro havia prometido a Regina Duarte um cargo na cinemateca Brasileira, em São Paulo, porém o cargo não existe.

O presidente da República tinha comunicado a saída da atriz do cargo no dia 20 de maio, mas o DOU só publicou a exoneração hoje.

No curto tempo que ficou na Secretaria de Cultura, Regina Duarte foi alvo de membros do governo e de aliados de Jair Bolsonaro, a exemplo do astrólogo Olavo de Carvalho, que esperava agasalhar seus seguidores em estratégicos cargos na pasta.

O próprio presidente da República sabotou a atriz da Globo ao demitir suas funcionárias e interagir com o também ator Mário Frias, indicado que ela seria substituída a qualquer momento. Ela sentiu a fritura no Palácio do Planalto.

A gota d’água foi uma entrevista de Regina na CNN Brasil. Ela teve um chilique ao vivo quando a emissora colocou no ar um vídeo da atriz Maitê Proença criticando a falta de trabalho na Cultura.

A CNN Brasil é a mais bolsonaristas das televisões, logo, subentende-se, tratou-se de um covarde “fogo amigo” contra a atriz Regina Duarte.