Abatido, Weintraub vai deixar a Educação para disputar a Prefeitura de São Paulo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, deve deixar o cargo nos próximos dias para disputar a Prefeitura de São Paulo. Esse assunto já foi discutido aqui no Blog do Esmael no mês passado, mas voltou à pauta nesta semana.

Weitraub será “promovido” à representante do presidente Jair Bolsonaro e do bolsonarismo no maior colégio eleitoral do País. Será o ambiente em que a extrema direita terá para provar que, além de disseminar ódio, é capaz de conquistar votos nas urnas.

O ministro da Educação está abatido, envelhecido, enfraquecido pelos embates ideológicos desnecessários com inimigos imaginários como “comunismo”, “China”, “globalismo”, “esquerda”, “Foro de São Paulo”, etc. São devaneios próprios de todos os seguidores do guru e astrólogo Olavo de Carvalho.

O Blog do Esmael recordou uma foto de “antes” e “agora” do ministro Abraham Weintraub para provar que espalhar fake news e ódio na sociedade envelhece o sujeito. Confira.

Quanto à candidatura de Weintraub, ela foi uma maneira de ‘derrubar pra cima’ o ministro e colocá-lo à prova numa disputa direta em São Paulo contra a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que abandonou o bolsonarismo e o terraplanismo.

LEIA TAMBÉM
‘Uma morte, uma loja virtual’

Supremo deve manter inquérito das fake news após manifestação do PGR

Oposição e Bolsonaro se unem contra manifestações “Antifas” deste domingo, por motivos diferentes

Weintraub deixa Polícia Federal carregado por apoiadores; assista

Weintraub é lançado para a prefeitura de São Paulo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, após o discurso agressivo contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) na reunião ministerial de 22 de abril, foi lançado para a prefeitura de São Paulo por grupos bolsonaristas nas redes sociais.

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo, grupos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro apontam o nome de Weintraub como franco favorito para disputar a presidência. Mas isso, claro, só em 2026, após um eventual segundo mandato do capitão.

Ainda de acordo com a jornalista, até lá, o grupo quer que Weintraub dispute a prefeitura de São Paulo, hoje sob o comando do tucano Bruno Covas (PSDB).