Temer ‘cutuca’ Bolsonaro e diz que decretaria 12 dias de quarentena no mínimo

Michel Temer reconheceu nesta terça-feira (12) a gravidade da crise de saúde instaurada no país por conta do coronavírus. Em entrevista ao Isso é Bahia, de A Tarde FM e Bahia Notícias, o ex-presidente declarou o que faria se estivesse no lugar de Jair Bolsonaro no comando do país durante a pandemia.

“Decretaria por 12 ou 15 dias uma quarentena e reexaminaria o assunto ao final desse período”, falou. Temer também disse que aconselhou o atual presidente a dar menos entrevistas na frente do Palácio da Alvorada.

“A palavra do presidente faz o dia do país. Se existe um conflito ali, esse conflito ‘corre’ o dia todo. É preciso que o porta-voz do presidente fale e que ele dê menos entrevistas. Uma vez ou duas por semana”, recomentou Temer.

LEIA TAMBÉM:

PT diz que Bolsonaro arma nova farsa contra o partido e a democracia

Manuela recebe indicação do petista Miguel Rosseto para vice em Porto Alegre

Brasil tem mais de 11 mil óbitos por coronavírus; 396 nas últimas 24h

O ex-presidente comentou que o estilo combativo de Bolsonaro, ao falar diariamente com a imprensa e apoiadores em Brasília, pode atrapalhar o que chamou de “pacto nacional” entre o Executivo, Legislativo e Judiciário: “talves o estilo prejudique a hipótese de um grande pacto, mas aind há tempo”.

*Por Lucas Arraz – Bahia Notícias