Robôs de Bolsonaro entram em ‘parafuso’ no Twitter após ação da PF

O “gabinete do ódio”, pilotado por Carlos Bolsonaro e financiado por generosas verbas de empresários pró-governo, acusou o golpe após a ação de busca e apreensão da Polícia Federal ordenada pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, que investiga a rede de fake news e de difamação do bolsonarismo contra a oposição, a imprensa e as instituições de Estado.

Segundo levantamento da consultoria AP Exata, publicado na Folha de São Paulo nesta sexta-feira (29), os impulsionamentos dos chamados perfis de interferência despencaram de 14% para 10% no Twitter. Elas já chegaram a ter pico de 17%.

A AP Exata avalia que, se os perfis de interferência forem mesmo desmobilizados, os bolsonaristas passarão a ter menos força para impor suas narrativas nas redes.

LEIA TAMBÉM:

Fake news: Moraes já possui informações para ações muito mais explosivas, diz jornalista

Governo Bolsonaro ameaça a democracia; luz vermelha acendeu, alerta líder do PT

Repórter negro da CNN é preso durante protestos em Minneapolis; assista

Nas últimas horas, os blogs bolsonaristas tentam animar a “tropa”, cada vez mais raivosa e decadente, atacando os ministros do STF na linha indicada pelo chefe de “acabou, porra”.

Grupos bolsonaristas convocam um ato para o próximo domingo (31), em Brasília, para manifestar apoio ao presidente Bolsonaro.