Robôs Bolsonaristas ‘acusam’ a Brastemp de apoiar o comunismo

Os robôs bolsonaristas subiram uma hashtag no Twitter acusando a marca de eletrodomésticos Brastemp de ser comunista.

A tag é #BrastempApoiaOComunismo e foi criada para atacar a Brastem após a marca afirmar que cancelou os anúncios no site bolsonarista de ‘fake news’  Jornal da Cidade Online.

A Brastemp atendeu a um aviso do Sleeping Giants Brasil, movimento que visa atacar a monetização dos sites de notícias falsas. Confira:

“Uhu a @brastemp também se pronunciou em repúdio à portais que propaguem Fake News e discursos de ódio. Desse jeito a @PaolaCarosella vai ficar orgulhosa dos parceiros do @masterchefbr ? Obrigado pelo apoio ✊? #SleepingGiantsBrasil

A Consul, outra marca de eletrodomésticos do mesmo fabricante, também atendeu ao aviso:

Diversas empresas estão respondendo positivamente e retirando seus anúncio deste e de outros sites que veiculam ‘fake news‘. O ataque à monetização desses sites parece ser bem efetivo, tendo em vista a reação dos robôs.

Weintraub terá 5 dias para explicar à Polícia Federal o ataque ao Supremo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou nesta terça-feira (27) que o ministro da falta de Educação, Abraham Weintraub, seja ouvido em até cinco dias pela Polícia Federal.

Weintraub terá que explicar o fato de ter chamado os ministros do Supremo de “vagabundos” e de ter dito que por ele “colocava todos na cadeia”.

As falas foram proferidas durante a reunião ministerial de 22 de abril. Aquela que o ex-juiz Sérgio Moro alega ser prova contra o presidente Bolsonaro de interferir politicamente na Polícia Federal.

Explica aí, Weintraub!

Após ataque ao STF, Weintraub é convocado para prestar explicações ao Senado

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, terá que prestar explicações ao Senado Federal que aprovou, nesta segunda-feira (25), a sua convocação após os ataques aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) na reunião ministerial de 22 de abril.

Weintraub chamou os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) de “vagabundos”, afirmando que queria prendê-los. O ministro declarou ainda que odeia os termos “povos indígenas” e “povo cigano” e classificou Brasília como “uma porcaria”, “um cancro de corrupção, de privilégio”.

Os senadores aprovaram a convocação com base nestas três afirmações. O comparecimento do ministro da Educação é obrigatório, com base na Constituição Federal. Se não comparecer, Weintraub pode responder por crime de responsabilidade.

LEIA TAMBÉM
Witzel acusa Bolsonaro

Weintraub é lançado para a prefeitura de São Paulo

Jornalistas denunciam violência de bolsonaristas no Palácio da Alvorada

Segundo o requerimento da convocação, de autoria da senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), Weintraub “atentou contra a dignidade dos integrantes da mais alta Corte do Judiciário brasileiro, agrediu a Capital da República e desprezou os povos indígenas, cuja integridade e cultura devem ser preservadas por preceito constitucional”.

A data do depoimento ainda será definida entre o Senado e o Ministério da Educação.

Weintraub também é alvo de requerimento de convocação na Câmara dos Deputados.