PT fechado com o Supremo

O líder do PT na Câmara, deputado Enio Verri (PT-PR), elogiou nesta quarta-feira (27) a operação da PF determinada pelo Supremo Tribunal Federal contra as fake news.

Para o líder petista, o ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito no STF, foi diligente ao rechaçar figuras públicas que tentam subverter a democracia, por meio de ameaças e a produção industrial de mentiras e difamações.

“Com altivez, o Judiciário exerce sua autoridade de impor os limites exigidos para preservar a democracia”, elogiou Enio.

“O min. Alexandre Moraes foi diligente ao rechaçar figuras públicas que tentam subverter a democracia, por meio de ameaças e a produção industrial de mentiras e difamações. Com altivez, o Judiciário exerce sua autoridade de impor os limites exigidos para preservar a democracia”, tuitou o líder do PT na Câmara.

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hofmann (PT-PR), também se manifestou acerca da operação da PF contra as fake news.

Gleisi disse que a operação da PF hoje, contra fake news que atingiram o STF, e muitas outras pessoas, está indo ao ponto certo.

“Logo chegarão ao covil dos criminosos. Questão de tempo”, afirmou. “Por isso não tem justificativa a CPMI da fake news no Congresso estar parada”, cobrou a dirigente petista.

A Polícia Federal realizou buscas e apreensões nesta quarta no âmbito do inquérito do Supremo Tribunal Federal que apura produção de notícias falsas e ameaças à Corte. Entre os alvos estão o ex-deputado federal Roberto Jefferson, o empresário Luciano Hang, o Véio Havan, os blogueiros Allan dos Santos e Winston Lima e empresários. Eles são aliados do presidente Jair Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM
Eduardo Bolsonaro sai em defesa do humorista Rey Biannchi, alvo da Polícia Federal; assista

“São indivíduos perigosos”, diz Flavio Dino sobre alvos da operação da PF contra fake news

Sara Winter chama Alexandre de Moraes de covarde e publica trecho de mandado

Véio da Havan, Roberto Jefferson, Alan dos Santos e Douglas Garcia são alvos da PF nesta quarta

Os alvos dos mandados são:

  • Luciano Hang, empresário (SC)
  • Roberto Jefferson, ex-deputado federal (RJ)
  • Allan dos Santos, blogueiro (DF)
  • Sara Winter, blogueira (DF)
  • Winston Lima, blogueiro (DF)
  • Edgard Corona, empresário (SP)
  • Edson Pires Salomão (SP)
  • Enzo Leonardo Suzi (SP)
  • Marcos Bellizia (SP)
  • Otavio Fakhoury (SP)
  • Rafael Moreno (SP)
  • Rodrigo Barbosa Ribeiro (SP)
  • Paulo Gonçalves Bezerra (RJ)
  • Reynaldo Bianchi Júnior (RJ)
  • Bernardo Kuster (PR)
  • Eduardo Fabris Portella (PR)
  • Marcelo Stachin (MT)

Deputados que serão ouvidos

O ministro Moraes determinou ainda que deputados deverão ser ouvidos no inquérito em até 10 dias. Eles não foram alvos de mandados nesta quarta. São eles:

Deputados federais

  • Bia Kicis (PSL-DF)
  • Carla Zambelli (PSL-SP)
  • Daniel Lúcio
  • Filipe Barros (PSL-PR)
  • Junio Amaral (PSL-MG)
  • Luiz Phillipe de Orleans e Bragança (PSL-SP)

Deputados estaduais

  • Douglas Garcia
  • Gildevânio Ilso