PSOL pede investigação contra Bolsonaro por compra de deputados com recursos do combate à pandemia

A bancada do PSOL na Câmara dos Deputados enviou uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) nesta quarta-feira (13) pedindo a abertura de uma investigação contra o presidente Jair Bolsonaro por ele estar usando os recursos extraordinários de combate à pandemia do novo coronavírus para barganhar e comprar apoio de deputados de partidos do “Centrão”.

O PSOL explica que, basicamente, o governo Bolsonaro está indicando recursos para estados e municípios “apadrinhados” pelos deputados federais que prometem apoio à manutenção do governo e à aprovação de suas propostas.

LEIA TAMBÉM:
Lula debate violência contra a mulher na pandemia de Covid-19; assista ao vivo

Coronavírus: Mais de 300 parlamentares apelam ao FMI para cancelar dívida de países pobres

Haddad: em meio a crise e pandemia Bolsonaro só se preocupa com sua ‘família de delinquentes’

A legenda cita uma reportagem do jornal O Globo que mostra que a média de recursos usados para comprar cada deputado gira em torno de R$ 10 milhões. Os beneficiários do esquema são parlamentares que fazem parte de siglas como PP, PL, PSD, Podemos, Republicanos, MDB e Patriota. A compra de apoio é operada pelo ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e é similar ao método usado pelo governo Bolsonaro para aprovar a Reforma da Previdência em 2019.

A representação do PSOL diz que “é ilegal e imoral trocar verbas na área da saúde por apoios políticos”. “Diante de tão severa crise sanitária, que escara desigualdades socioeconômicas e étnico-raciais, é indispensável que os recursos públicos sejam utilizados estritamente dentro de critérios técnicos, e não em troca de apoios político-partidários”, diz o documento, pedindo que sejam apurados os crimes de prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência.

Leia a íntegra da representação:

Representação-PGR-verbas-coronavírus

Com informações do PSOL.