PGR deve pedir depoimento de Bolsonaro no inquérito que apura suposta interferência na PF

O procurador-geral da República, Augusto Aras, deve solicitar que Jair Bolsonaro preste depoimento no âmbito do inquérito que apura se o presidente tentou interferir na Polícia Federal (PF), de acordo com o G1.

A data da audiência ainda está sendo estudada por Aras, mas ele deve solicitar o depoimento após as audiências desta semana de delegados da PF, ministros do governo e da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro diz que pode divulgar trecho de vídeo de reunião ministerial

Bolsonaro, na ‘defensiva’, entrega ao Supremo os exames de coronavírus

Bolsonaro no bico do corvo

Se for pedido pela PGR, o depoimento do presidente tem que ser autorizado pelo ministro Celso de Mello, que preside o inquérito sobre o caso no Supremo Tribunal Federal (STF). Em razão do cargo, Bolsonaro tem a prerrogativa de, quando for requisitado a prestar depoimento, dar respostas por escrito.

A procuradoria e a Polícia Federal devem questionar Bolsonaro sobre o teor do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, citada pelo ex-ministro Sergio Moro (Justiça) como prova da tentativa de interferência na corporação.

Fontes que assistiram ao vídeo relataram que, na reunião, o presidente mencionou preocupação com a família ao cobrar a troca da superintendência da PF no Rio de Janeiro.