O fascismo bateu à porta da Globo

Primeiramente, a nossa solidariedade aos colegas da linha de frente do jornalismo brasileiro. Esses lutadores jamais devem ser confundidos com os canalhas dos donos de jornalões, que apoiaram a ruptura do ‘pacto constitucional’ com o golpe de 2016.

Dito isso, não só a Globo. O fascismo também está arrombando as portas de outros veículos da velha mídia. Profissionais de imprensa estão sendo intimidados pela horda bolsonarista, que tenta impedir a cobertura do desgoverno Jair Bolsonaro (sem partido).

Folha, Estadão, Veja, Metrópoles, UOL, O Antagonista, enfim, todos os que apoiaram a derrubada de Dilma Rousseff (PT) estão sentindo na boca, agora, o gosto amargo do fascismo representado pelo governo de plantão.

A tendência é que as coisas piorem, haja vista os rumos da luta pelo poder e a disputa pelo orçamento no País –ambos assuntos tratados diariamente no Blog do Esmael.

Mais do que fazer autocrítica e pedir perdão pela sua participação no golpe, a velha mídia tem que devolver o que ajudou a surrupiar dos trabalhadores e do povo brasileiro: a sua dignidade, com as criminosas reformas trabalhista e previdenciária; os direitos sociais, subtraídos com a limitação do acesso à saúde e à educação de qualidade, com o congelamento de investimentos pelos próximos 20 anos.

Não basta Globo, Folha e demais empresas de mídia corporativa reclamarem por meio de “notinhas” que sofrem ameaças dos bolsonaristas. Para que recebam solidariedade da sociedade, é preciso que elas [empresas de comunicação] paguem sua dívida histórica com todos nós.

Os barões da velha mídia têm que se ajoelhar no milho, reconhecer seu erro pelo apoio ao fascismo, e ajudar no debate que realmente importa à Nação: um plano de desenvolvimento que privilegie o emprego pleno, o consumo, a produção, em detrimento à especulação e o rentismo em voga.

Portanto, não nos satisfazem as ‘cartinhas’ e elas não são suficientes para obter empatia da sociedade. É preciso muito mais. A velha mídia deve isso ao Brasil.

LEIA TAMBÉM
“Gestapo” viraliza nas redes sociais após ação da PF contra Witzel

Jornalistas denunciam violência de bolsonaristas no Palácio da Alvorada

Rede Globo desiste de cobrir saída do Palácio da Alvorada

Globo é “comunista”, segundo manifestantes bolsonaristas

Em nota, TV Globo repudia campanha de intimidação a Bonner

A TV Globo divulgou hoje (26) uma nota de repúdio a uma campanha de intimidação promovida contra o jornalista e apresentador do Jornal Nacional, William Bonner.

No texto, a emissora cita o uso indevido do CPF do filho de Bonner por um fraudador que inscreveu o jovem no programa de auxílio emergencial do governo a pessoas vulneráveis que perderam renda na pandemia. Além disso, também informa que jornalista e uma de suas filhas receberam mensagens de WhatsApp, originadas de número telefônico com o prefiro 61, de Brasília, com dados fiscais sigilosos dele e da família. E declara apoio da empresa ao apresentador na busca e na punição dos responsáveis pelo desrespeito ao sigilo previsto na Constituição.

“A Globo o apoiará para que os autores dessa divulgação de seus dados fiscais, protegidos pela Constituição, sejam encontrados e punidos. William Bonner é um dos mais respeitados jornalistas brasileiros e nenhuma campanha de intimidação o impedirá de continuar a fazer o seu trabalho correto e isento. Ele conta com o apoio integral da Globo e de seus colegas e está amparado pela Constituição e leis desse país”, diz um trecho da nota.

Leia a nota na íntegra:

A Globo repudia a campanha de intimidação que vem sofrendo o jornalista William Bonner e se solidariza com ele de forma irrestrita. Há dias, um fraudador usou de forma indevida o CPF do filho do jornalista para inscrever o jovem no programa de ajuda emergencial do governo para os mais vulneráveis da pandemia, para isso se aproveitando de falhas no sistema, que não checa na Receita Federal se pessoas sem renda são dependentes de alguém com renda, fato denunciado publicamente pelo próprio jornalista que apresentou notícia crime junto ao Ministério Público Federal no Rio de Janeiro.

Agora, tanto o jornalista quando a sua filha receberam por WhatsApp em seus telefones pessoais mensagem vinda de um número de Brasília com uma lista de endereços relacionados a ele e os números de CPFs dele, de sua mulher, seus filhos, pai, mãe e irmãos, o que abre a porta para toda sorte de fraudes.

A Globo o apoiará para que os autores dessa divulgação de seus dados fiscais, protegidos pela Constituição, sejam encontrados e punidos. William Bonner é um dos mais respeitados jornalistas brasileiros e nenhuma campanha de intimidação o impedirá de continuar a fazer o seu trabalho correto e isento. Ele conta com o apoio integral da Globo e de seus colegas e está amparado pela Constituição e leis desse país.