Novo diretor-geral da PF escolhe Tácio Muzzi para superintendência do Rio de Janeiro

O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Rolando de Souza, escolheu o delegado Tácio Muzzi para assumir a superintendência da corporação no Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM:
Nelson Teich diz a Lula que começou no SUS há 39 anos, mas o SUS só tem 32 anos

Bolsonarista “revelou” quem mandou matar Bolsonaro; assista

Juiz federal Marcelo Bretas é internado com o Coronavírus

Tácio Muzzi substituirá Carlos Henrique Oliveira, que foi confirmado no cargo de diretor-executivo da PF, o segundo posto mais importante da instituição policial.

Muzzi está na PF desde 2003 e foi superintendente interino no estado durante cinco meses no ano passado. Ele também foi chefe da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros, atuou no Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional e foi diretor do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

A superintendência do Rio está no centro das acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, de que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria tentado interferir politicamente na PF para obter acesso a informações sigilosas e relatórios de inteligência. O presidente estaria preocupado com investigações sobre seus filhos.

Em depoimento à Polícia Federal no último sábado (2), Moro disse que, em fevereiro, Bolsonaro afirmou, por mensagem de celular, que queria indicar um novo superintendente para a PF no Rio, estado no qual o presidente e seus três filhos políticos têm suas bases eleitorais.

“A mensagem tinha, o seguinte teor:’Moro você tem 27 Superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro'”, diz relatório sobre o depoimento do ex-ministro.

Com informações do G1.