Lélia e Sebastião Salgado lançam na França manifesto pela proteção dos índios da Covid-19

O manifesto “Ajude-nos a proteger os índios da Amazônia da Covid-19” foi publicando com exclusividade neste domingo (3) pelo Journal du Dimanche. O famoso fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado e sua mulher, a designer gráfica Lélia Wanick Salgado, radicados em Paris, pedem que o presidente brasileiro Jair Bolsonaro adote medidas imediatas para defender os povos da floresta da ameaça da pandemia. A campanha mobilizou dezenas personalidades mundiais, como McCartney, Madonna ou Almodóvar.

“Os povos indígenas do Brasil estão em perigo”, começa o texto do abaixo-assinado lançado por Lélia e Sebastião Salgado. O manifesto lembra que há cinco séculos, os grupos étnicos da floresta foram dizimados por doenças levadas pelos colonizadores europeus. “A nova pandemia, que se propaga rapidamente pelo Brasil, poderia exterminar índios que vivem isolados na Amazônia e que não têm nenhuma defesa contra a Covid-19”, alerta o manifesto.

LEIA TAMBÉM:
Bolsonaro compartilha vídeo do Conselho Federal de Medicina contra governadores do Nordeste; assista

Coronavírus lota hospitais e gera colapso funerário em Belém

Velha mídia se diz “chocada” com a pobreza que ela ajudou a criar e perpetuar no País

A situação na região é “duplamente crítica, devido às invasões das reservas indígenas por garimpeiros e madeireiros” que se aceleraram nas últimas semanas, denuncia o abaixo-assinado. O risco de “genocídio é real” e o desaparecimento da população indígena seria uma “tragédia colossal para o Brasil e uma perda para a humanidade”.

“Não há tempo a perder”
As personalidades que já assinaram o manifesto se dizem “amigas do Brasil e admiradores de sua cultura”. Elas pedem ao presidente Bolsonaro, aos líderes do Congresso e do poder judiciário a adoção de medidas imediatas para proteger os povos indígenas contra o vírus devastador. “Não há tempo a perder!»

Há sete anos, Sebastião Salgado, autor do monumental projeto Genesis, fotografa tribos da Amazônia e defende seus direitos. O manifesto publicado hoje no Journal du Dimanche traz a assinatura de cerca de 50 personalidades que vão do príncipe Alberto II de Mônaco ao diretor de cinema alemão Win Wenders, passando por atores, cineastas e artistas do mundo todo. Da França, assinam o ex-ministro da Ecologia Nicolas Hulot e a atriz Juliette Binoche. O público pode aderir à campanha na plataforma Avaaz.

Por RFI.