Justiça dá 72 horas para AGU explicar divulgação pelo governo de medicamentos contra Covid-19 sem eficácia comprovada

A Justiça Federal da 3ª Região acatou, liminarmente, a ação popular movida pelos deputados federais do PT Henrique Fontana (RS) e Paulo Teixeira (SP) e pelo senador Jean Paul Prates (PT-RN) e intimou a Advocacia-Geral da União (AGU) para que se manifeste em 72 horas, a partir dessa quarta-feira (6), sobre a divulgação por parte do governo federal de medicamentos sem comprovação de cura da Covid-19.

A ação foi ajuizada no dia 29 de abril contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e os ministros Nelson Teich (Saúde) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) para que seja proibida a divulgação de medicamentos que, sem eficácia cientificamente comprovada no combate ao novo coronavírus, podem adoecer a população em razão dos efeitos colaterais.

LEIA TAMBÉM:
Justiça obriga Bolsonaro a mostrar resultado de exame para Covid-19

Depois do coronavírus vem o dilúvio na economia

Argentina diz que epidemia no Brasil põe região em risco

“Ajuizamos esta ação para garantir que autoridades do governo se abstenham de divulgar medicamentos como possíveis curas para a covid-19 que não tenham sua eficácia comprovada”, explicou Henrique Fontana.

Confira a decisão:


Com informações do PT na Câmara