Estudantes pedem a prorrogação das inscrições para o Enem

Publicado em 22 maio, 2020

Após o governo ceder às pressões e concordar com o adiamento das provas do Exame Nacional do Ensino Médio, os estudantes pedem que as inscrições também sejam prorrogadas.

Segundo o cronograma original, as inscrições se encerram hoje, sexta-feira (22/05). Mas, segundo os estudantes, há problemas no sistema de inscrição que é feita pela internet.

O presidente da União Nacional dos Estudante (UNE), Iago Montalvão, escreveu pelo Twitter:

“Hoje é o último dia de inscrições para o ENEM segundo o antigo cronograma do MEC. E aí @AbrahamWeint, vão manter mesmo com problemas no sistema e com muitos estudantes sem conseguir se inscrever? Precisam ter humildade e aprender com as derrotas. #ProrrogaINEP”

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas também se manifestou:

“Nossa denúncia sobre os erros na inscrições do Enem foi pro @EncontroFatima!  Precisamos garantir que os estudantes com acesso restrito à internet não sejam prejudicados. Adiamos o Enem, agora precisamos de estrutura e tempo pra que todos possam se inscrever. #ProrrogaINEP”

Enem encerra inscrições nesta sexta-feira

As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 terminam às 23h59 desta sexta-feira (22). As provas, entretanto, foram adiadas na quarta-feira (20) por 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto inicialmente no edital, por determinação do Ministério da Educação.

Ontem (21), segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelo exame, mais de 4, 3 milhões de estudantes tinham feito a inscrição para participar desta edição do Enem.

Neste ano, o Inep também oferecerá o Enem Digital, porém, desde a semana passada, as 101,1 mil vagas ofertadas para a versão informatizada do exame já haviam se esgotado. A aplicação do Enem Digital será em laboratórios de informática, em diversas faculdades brasileiras, e o candidato receberá um cartão de confirmação da inscrição no exame, com o endereço da faculdade e o laboratório de informática onde fará a prova, sob supervisão de fiscais.

O Enem encerrará ainda hoje as inscrições, porém a data das provas foi adiada. O episódio representou mais uma derrota política para o presidente Jair Bolsonaro e seu ministro da Educação, Abraham Weintraub, que insistiam no calendário de novembro.

Inscrições
Para evitar erros na hora da inscrição, o Inep recomenda que todos os participantes façam o procedimento com calma. O aluno deve, por exemplo, verificar cuidadosamente as informações declaradas, pois, após a conclusão, algumas não poderão ser modificadas.

Os dados que constam na Receita Federal (nome, nome da mãe e data de nascimento) devem ser os mesmos declarados por quem vai fazer o Enem. Quando há divergência, o sistema informa que o participante precisa fazer a correção no órgão. A inscrição poderá ser concluída apenas após a atualização dos dados na Receita.

O participante que já concluiu a inscrição tem a oportunidade de fazer modificações em alguns itens do sistema do Enem, mas somente ao final do prazo de inscrições.

Os inscritos que se enquadram nos requisitos apresentados nos editais como beneficiários da gratuidade da taxa de inscrição ficarão isentos sem a necessidade de um pedido formal. Para os demais, a taxa de R$ 85 deve ser paga até 28 de maio, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU), gerada ao final da inscrição.

Nova data
Nos próximos dias, o Inep fará uma consulta aos inscritos para definir novas datas para o exame, que estava previsto para os dias 1º e 8 de novembro (impresso) e 11 e 18 de novembro (digital).

Os candidatos serão convidados a responder a uma enquete na Página do Participante, para que possam manifestar sua opinião em relação ao melhor momento para realizar as provas.

As informações a respeito do Enem 2020 podem ser acompanhadas no portal do Inep e do Ministério da Educação, assim como nas redes sociais oficiais dos dois órgãos. Dúvidas relativas ao processo de inscrição podem ser sanadas pelo Fale Conosco, do Inep, por meio do autoatendimento online ou do 0800 616161 (somente chamadas de telefone fixo).

Tanto na versão impressa quanto na digital, os participantes farão provas de linguagens, códigos e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; e matemática e suas tecnologias, com 45 questões de múltipla escolha em cada área de conhecimento. A redação será manuscrita, em papel, nas duas modalidades.

LEIA TAMBÉM
Lula recebe o 36º título de Doutor Honoris Causa na Argentina

General interino da Saúde nomeia advogado criminalista como assessor especial

Governo Bolsonaro é desaprovado por 70,4% em Salvador (BA), diz pesquisa

Governo cede e anuncia adiamento do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) acabaram de anunciar o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio.

Confira a nota divulgada pelo MEC: 

NOTA OFICIAL Adiamento do Enem 2020

Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais.

Para tanto, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. As inscrições para o exame seguem abertas até as 23h59 desta sexta-feira, 22 de maio.”

Ou seja, Abraham Weintraub foi enquadrado pelas entidades estudantis e pelo Congresso Nacional. Mais cedo, ele havia sugerido a possibilidade de adiamento, vencido pela realidade.

Leia a seguir:

Agora Weintraub sugere adiamento do Enem em “30 ou 60 dias”

Após o Senado aprovar por 75 votos a 1 o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o ministro da falta de Educação tenta manter algum controle sobre a situação e “sugere” o adiamento do exame.

Weintraub escreveu em seu Twitter:

“Diante dos recentes acontecimentos no Congresso e conversando com líderes do centro, sugiro que o ENEM seja adiado de 30 a 60 dias. Peço que escutem os mais de 4 milhões de estudantes já inscritos para a escolha da nova data de aplicação do exame.”

A deputada Sâmia Bomfim rebateu: “‘Sugiro que seja adiado’. Na verdade, a sociedade organizada conquistou o adiamento do Enem, apesar de sua irresponsabilidade e elitismo. Vitória importante dos que lutam pela educação!”

A verdade é que o adiamento das provas é pauta das entidades estudantis desde o início da pandemia. Todos sabem que os estudantes de baixa renda terão mais dificuldades para se preparar para o certame.

Senado aprova adiamento do Enem 2020; matéria segue para a Câmara

O Senado aprovou nesta terça-feira (19), em sessão virtual, a proposta da senadora Daniella Ribeiro (PP-PB) para o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio.

A medida prevê que, em casos de reconhecimento de estado de calamidade pelo Congresso Nacional ou de comprometimento do regular funcionamento das instituições de ensino do país, seja prorrogada automaticamente a aplicação das provas, exames e demais atividades de seleção para acesso ao ensino superior.

O projeto foi aprovado por 75 votos a 1. A matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, marcou a aplicação do exame impresso para os dias 1º e 8 de novembro, e a versão digital para 22 e 29 de novembro. As inscrições estão abertas até o próximo dia 22.

Para Daniella, o adiamento do Enem 2020 impedirá a concorrência desleal entre candidatos que não têm as mesmas oportunidades de acesso à internet, especialmente entre estudantes das redes pública e privada de ensino.

“O que nós estamos fazendo não prejudica os outros estudantes. Isso é apenas para não reforçar a desigualdade que já existe. Qual aluno hoje tem condição de estar em casa estudando, de pagar uma plataforma de streaming, de pagar pelo YouTube, de ter uma aula de EaD [educação a distância], ou de estudar de qualquer outro jeito? Livros? Que livros eles receberam? Nenhum! Quem é o professor, o autodidata? Quantos são autodidatas para estudarem sozinhos matemática, física e química?” Questionou.

A senadora destacou o apelo dos estudantes a favor do adiamento do Enem e ainda lembrou da sua experiência em sala de aula.

“A gente está aqui para representar aqueles que não têm voz, aqueles que não podem chegar até cada um de nós. Eu tive oportunidade de ser professora de escola pública no interior da Paraíba. Eu conheço o que é a dificuldade de perto e sei que, nos estados, vocês vivenciam isso. Então eu queria dizer que nada mais nada menos do que fazer justiça é o que nós estamos fazendo.” Afirmou Daniella.

Agora a proposta segue para a análise da Câmara onde também já há um projeto no mesmo sentido. A arrogância e a irresponsabilidade do ministro da falta de Educação, Abraham Weintraub não pode prevalecer.

Com informações da Agência Senado.

Weintraub, ‘pato manco’, diz que vai ouvir os estudantes sobre o adiamento do Enem

O ministro da Educação Abraham Weintraub anunciou que os estudantes inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem-2020) serão consultados sobre a data de realização das provas. O Exame inicialmente está previso para acontecer na primeira semana de novembro.

“Liberdade de escolha: Neste momento, 4.000.000 de brasileiros já se inscreveram no #ENEM2020. As inscrições vão até sexta-feira. Há um debate sobre seu adiamento. Nosso posicionamento é saber a opinião dos principais interessados, perguntando diretamente aos estudantes inscritos”, publicou o ministro da Educação, Abraham Weintraub, no Twitter.

Em seguida, Weintraub informou que a pasta fará uma consulta na última semana de junho a todos os inscritos, através da “Página do Participante”, no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela elaboração e aplicação do Enem.

Weintraub perdeu o embate na defesa da manutenção da data para a realização do Enem. Isolado, agora finge realizar uma consulta aos estudantes. “Vamos manter a data? Adiar por 30 dias? Suspender até o fim da pandemia?”, escreveu no Twitter.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro entrega ao ‘Centrão’ fundo bilionário do MEC e desautoriza Weintraub

General Pazuello ‘militariza’ o Ministério da Saúde

Assassinato de menino de 14 anos em São Gonçalo revolta o país

O ministro, além do revés sobre a data do Enem, perdeu o controle do bilionário Fundo Nacional de desenvolvimento da Educação (FNDE) para os políticos do Centrão. No jargão da política, virou um pato manco na cadeira do MEC.