Em plena pandemia, Bope promove ‘banho de sangue’ no Complexo do Alemão no Rio

O Batalhão de Operações Especiais (Bope) e policiais militares do Batalhão de Ações com Cães realizaram uma intensa operação de cerco e aniquilamento no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (15). A ação violenta deixou ao menos seis mortos e abalou os moradores da comunidade.

A operação contou também com suporte aéreo de helicópteros e em terra com o veículo blindado conhecido como “caveirão”, que danificou diversos carros de moradores estacionados nas ruas e vielas da comunidade do Alemão.

“Em meio a pandemia, uma operação policial na favela. Aqui mesmo onde falta água e a fome se faz presente… vejam, essa foi a principal forma que o estado dialogou com o nosso momento atual. A falsa ideia de guerra as drogas, que NÃO transforma positivamente realidades…”, escreveu o ativista Raull Santiago, que compartilhou cenas dos corpos metralhados durante a famigerada operação.

Por meio de nota, a polícia informou “que policiais militares do Batalhão de Ações com Cães, do Choque e do Bope (Batalhão de Operações Especiais) chegaram na favela e foram recebidos a tiros e houve confronto”.

Segundo moradores, a fiação elétrica na rua 2, no Complexo do Alemão, foi atingida por tiros durante o confronto. Por conta disso, a região está sem luz.