Depoimento de Paulo Marinho: Celso de Mello nega pedido de Flávio Bolsonaro

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou em decisão da noite de segunda-feira (26) pedido do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) para ter acesso ao depoimento do empresário Paulo Marinho à Polícia Federal no âmbito de inquérito que investiga as acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro de que o presidente Jair Bolsonaro, pai do parlamentar, buscou interferir na PF.

Na decisão, o ministro argumentou que Flávio Bolsonaro não é objeto de investigação neste inquérito e lembrou que determinou sigilo do depoimento de Marinho, que é suplente do filho do presidente e pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro na eleição deste ano pelo PSDB.

“Sendo assim, e em face das razões expostas, indefiro o pedido deduzido na Petição protocolada, eletronicamente, nesta Suprema Corte”, escreveu Celso de Mello.

LEIA TAMBÉM:

URGENTE: Witzel é alvo de operação da PF no Rio

No “aquecimento”, Mourão pede para governo comprar esteira de R$ 44 mil com TV, internet e ‘curso interativo’

Rede Globo desiste de cobrir saída do Palácio da Alvorada

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo publicada no dia 16 de maio, Marinho, que fez parte da campanha presidencial de Bolsonaro, disse que Flávio Bolsonaro teve acesso antecipado à informação de que o ex-assessor parlamentar do senador, quando ele era deputado estadual no Rio, Fabrício Queiroz, seria alvo de uma operação da Polícia Federal.

À época, Flávio rebateu a acusação e disse que ela era uma “invenção de alguém desesperado e sem votos”.

*Da Reuters