Contraprova de Mourão para coronavírus dá negativo

A contraprova do exame do vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), para o novo coronavírus deu resultado negativo, informou nesta quarta-feira (20), em nota, a assessoria da vice-presidência.

“Negativo foi o resultado da contraprova do teste para covid-19 do senhor vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e de sua esposa, Paula Mourão. O vice-presidente retornará ao expediente normal em seu gabinete na parte da tarde de hoje”, diz o comunicado.

LEIA TAMBÉM:
Véio da Havan inclui alimentos nas lojas para tentar reabrir como atividade essencial

Os militares já tomaram o poder, segundo Globo

Trump avalia proibir voos do Brasil aos EUA

Mourão estava em isolamento no Palácio do Jaburu desde o dia 16 de maio, quando ele e sua esposa, Paula Mourão, fizeram o primeiro exame para a doença. O teste inicial deu negativo e foi feito depois que um servidor com quem o vice-presidente teve contato na quarta-feira (13) ter sido diagnosticado com covid-19.


Coronavírus: Brasil chega a 17.971 mortes e ultrapassa 270 mil casos em 19/05

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (19) o mais recente balanço da epidemia de coronavírus no Brasil.

O país ultrapassou a barreira das 1.000 mortes em 24h. O número de casos confirmados também é um recorde para o intervalo de um dia.

Os principais dados são:

– 17.971 mortes;

– 1.179 mortes registradas nas últimas 24 horas;

– 271.628 casos confirmados;

– 17.408 casos registrados em 24 horas.

Veja o balanço por Estado:

‘Quem é de esquerda toma… Tubaína’, diz Bolsonaro, ao defender cloroquina para a direita

O presidente Jair Bolsonaro apelou para a baixaria nesta terça-feira (19) ao fazer lobby a favor do uso da cloroquina no tratamento do coronavírus. “Quem é de direita toma cloroquina, quem é de esquerda, Tubaína”, disse durante uma transmissão nas redes sociais.

O presidente anunciou para amanhã (20) um novo protocolo que permitirá a utilização da cloroquina em pacientes em estágio inicial de contágio do coronavírus. Ele deu o furo durante entrevista ao jornalista Magno Martins.

Segundo Bolsonaro, o documento não obrigará nenhum paciente a ser medicado com a droga cuja a eficácia é contestada pela comunidade científica, mas, de acordo com ele, dará a liberdade para que ele faça uso do remédio caso julgue necessário.

“O que é a democracia? Você não quer? Você não faz. Você não é obrigado a tomar cloroquina”, afirmou. “Quem é de direita toma cloroquina. Quem é de esquerda toma Tubaína”, zombou, citando o refrigerante popular.

Bolsonaro também indicou que poderá manter no cargo o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello. Para o presidente, o militar está fazendo um ‘excelente’ trabalho.

Nesta terça, por exemplo, Pazuello nomeou ao menos dez membros do Exército –de diversas patentes– para funções no Ministério. Esses escolhidos não são da área.

ASSISTA AO VÍDEO: