Bolsonaro: ‘Ninguém vai querer dar um golpe em cima de mim’

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou neste sábado (2) que ninguém dará um golpe em seu governo.

“Ninguém vai fazer nada ao arrepio da Constituição, fiquem tranquilos. Ninguém vai querer dar um golpe em cima de mim, não, podem ficar tranquilos”, disse Bolsonaro a apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada.

LEIA TAMBÉM:
PGR destaca três procuradores para acompanhar depoimento de Moro à PF

Moro chuta o pau da barraca de Bolsonaro, mas o lixo da história aguarda o ex-ministro

Senado vota hoje proposta de auxílio a estados e municípios

O presidente deu a declaração após um apoiador ter afirmado que estava no local para “dar apoio e repudiar o que o Supremo Tribunal Federal está fazendo com o senhor”.

A relação entre Bolsonaro e o Supremo voltou a ficar tensa depois que o ministro da Corte, Alexandre de Moraes, barrou a nomeação de Alexandre Ramagem, delegado e amigo da família do presidente, para a direção-geral da Polícia Federal.

Assista ao vídeo:

– Alvorada 02/05/2020.- BRASIL!!!. Link no youtube: https://youtu.be/Gjv7vtq96sE

Posted by Jair Messias Bolsonaro on Saturday, May 2, 2020

Moro depõe hoje à PF em inquérito sobre Bolsonaro
O ex-ministro Sérgio Moro depõe daqui a pouco, por volta das 11 horas, na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, no inquérito que apura as acusações feitas por ele contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O depoimento de hoje (2) é incomum porque ocorre em um sábado (2), “feriadão”, e num momento de acefalia na Polícia Federal. O órgão está sem comando desde que o ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, proibiu Bolsonaro de nomear Alexandre Ramagem no cargo de diretor-geral.

A PF vai ouvir Moro após decisão do ministro do STF Celso de Mello, que deu cinco dias para o ex-ministro da Justiça. O inquérito foi instaurado a pedido do procurador-geral da República, Augusto Aras.

O ex-ministro da Justiça será ouvido da capital paranaense pelo delegado Igor de Paula, que atuou na Lava Jato, quando Moro era juiz na 13ª Vara Federal de Curitiba.

Sérgio Moro disse numa entrevista da revista Veja, neste fim de semana, que irá chutar o pau da barraca de Bolsonaro apresentando provas à Justiça sobre a interferência do presidente nas investigações da PF.

De acordo com “delação” do ex-ministro da Justiça, ao deixar o cargo no último dia 24, o presidente Bolsonaro decidiu exonerar o antigo diretor da PF Maurício Valeixo para facilitar essa interferência no curso de processos tanto na polícia quanto no Supremo Tribunal Federal.

Barrado pelo ministro Moraes, o delegado Ramagem foi chefe de segurança de Jair Bolsonaro na campanha de 2018. O policial foi vetado porque teria relações pessoais com o presidente da República e seus familiares.