Bolsonaro compartilha vídeo do Conselho Federal de Medicina contra governadores do Nordeste; assista

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais neste domingo (3) para compartilhar um vídeo de Mauro Ribeiro, presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), em que se posiciona contrário a um pedido dos governadores do Nordeste sobre a contratação de médicos brasileiros formados no exterior para atuar no combate ao coronavírus.

Ribeiro diz que os argumentos apontados pelo Consórcio Nordeste para solicitar autorização de trabalhar ao 15 mil médicos com formação no exterior é uma “traição”, além de “falaciosos” e “mentirosos”.

“A razão da nossa da nossa fala é a atitude dos governadores do Nordeste solicitando ao Ministério da Educação e da Sáude para que supostos médicos formados no exterior sejam by passem o Revalida e tenham situação legalizada ao arrepio da lei para poder atuar aqui no Brasil”, afirma Ribeiro ao iniciar o vídeo.

E acrescenta: “Vejo a situação como traição desses governadores com argumentos falaciosos, com argumentos mentirosos, se aproveitando do momento de maior ameaça da história da nossa sociedade em relação a uma doença terrível, altamente transmissível e de uma letalidade muito rápida para aprovarem algo totalmente desprezível, se locupletando no sentido de garantir a esses brasileiros o direito de atender a população brasileira sem mostrar nenhum tipo de conhecimento médico”.

LEIA TAMBÉM:

Moro tenta se explicar pelo Twitter

Coronavírus lota hospitais e gera colapso funerário em Belém

Senado aprova ajuda de R$ 125 bi para estados e municípios, mas congela de salários de servidores até 2022

Ribeiro diz ainda está “profundamente decepcionado, estarrecidos com essa atitude dos governadores baseados em uma mentira”. Segundo ele, “não existe no momento nenhuma necessidade de pessoas que nós nem sabemos se são médicos, de pessoas que não fizeram nenhum tipo de prova no sentindo de mostrarem competência para atender a população brasileira para atender a população brasileira nesse momento”.

“Hoje existe médicos brasileiros com CRM que se voluntarizaram para atender durante o período da Covid-19. Existem 54 mil acadêmicos em medicina que também de forma voluntária se colocaram para atender no período da Covid-19. Existem 3 mil residentes que também se voluntarizaram. Então, não existe a menor razão, a menor fundamentação na fala desses governadores”, ressalta.

O presidente do Conselho Federal de Medicina tem sido um aliado político do presidente Bolsonaro nas polêmicas surgidas em torno da pandemia do coronavírus.