Bolsonaro a Rede Globo em nota oficial; confira a íntegra

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) divulgou uma nota oficial nesta segunda-feira (4), no Twitter, na qual ataca a Rede Globo pela cobertura do programa Fantástico à participação dele no ato antidemocrática de ontem (3).

O presidente repetiu que se tratou de uma manifestação “espontânea” e cobrou da emissora que dê destaque às prisões de pessoas que furaram a quarentena, a exemplo de uma mulher algemada numa praça de Araraquara (SP).

Leia a íntegra da nota oficial de Bolsonaro:

  • A TV Globo no Fantástico de ontem se dedicou a ataques ao Presidente Jair Bolsonaro, pelo fato de um fotógrafo do jornal O Estado de SP ter sido agredido por alguns possíveis infiltrados na pacífica manifestação.
  • Também condenamos a violência. Contudo, não vi tal ato, pois estava nos limites do Palácio do Planalto e apenas assisti a alegria de um povo que, espontaneamente, defendia um Governo eleito, a democracia e a liberdade.
  • Agora não vi, em dias anteriores a TV Globo sair em defesa de uma senhora e filha que foram colocadas a força dentro de um camburão por estarem nadando em Copacabana, outra ser algemada por estar numa praça em Araraquara/SP ou um trabalhador também ser algemado e conduzido brutalmente para uma DP no Piauí.
  • A maior violência que o povo sofre no Brasil e aquela contra seus direitos fundamentais, com o apoio ou omissão da Rede Globo.

LEIA TAMBÉM
Mulher diz que Coronavírus é “circo para implantar ditadura comunista” e vai presa; assista ao vídeo

Ato golpista de Bolsonaro foi um fiasco; assista ao vídeo

Após ser adquirido, Centrão nem aí com participação de Bolsonaro em ato antidemocrático

Após ser adquirido, Centrão nem aí com participação de Bolsonaro em ato antidemocrático

Os cargos. O que importa são os cargos. Com isso em mente, o Centrão afrouxou as críticas pela participação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), neste domingo (3), na manifestação contra o Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal e velha mídia.

Tirando algumas poucas palavras acerca das agressões aos profissionais da imprensa –Estadão, Folha, O Globo e Poder 360–, a turma do Centrão só pensa mesmo na boquinha que podem conquistar na negociação com Bolsonaro.

Deputados e senadores do Centrão disseram ter visto a ida do presidente ao protesto como um domingo qualquer. A notinha de repúdio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), expressa bem o ânimo do Centrão.

“Eles também minimizaram a ameaça a enfermeiros no dia anterior e as declarações intimidatórias do presidente contra o STF, dando a entender que não aceitará eventuais decisões desfavoráveis. O grupo é o novo aliado de Bolsonaro e está prestes a receber um lote de cargos públicos”, registra o Painel, da Folha, nesta segunda-feira (4).

A coluna do jornalão lamenta que os poucos parlamentares que se posicionaram a respeito do ocorrido no fim de semana defenderam as pessoas agredidas, mas não criticaram Bolsonaro, que mais uma vez incentivou aglomerações durante a pandemia.

O Brasil tem 7.051 mortes por coronavírus e 102 mil casos confirmados na manhã de hoje.

Na avaliação de políticos e membros do Judiciário, a ação de Bolsonaro foi para seguidores. Ele quis passar a mensagem de que é ele quem manda, um dia antes de anunciar seu novo nome para diretor-geral da Polícia Federal. No órgão, a expectativa é a de que o escolhido seja Rolando Souza, braço-direito de Alexandre Ramagem, que teve a nomeação suspensa pelo STF.