STF vai investigar Abraham Weintraub por racismo contra chineses

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, decidiu pela abertura de inquérito para investigar o ministro da falta de Educação, Abraham Weintraub, por crime de racismo contra os chineses.

Weintraub usou o personagem Cebolinha, de Maurício de Souza, que troca o “r” pelo “l”, para imitar o sotaque chinês e insinuar que o Coronavírus atenderia a interesses da China em seu plano para “dominar o mundo”.

“Geopoliticamente, quem podeLá saiL foLtalecido, em termos Lelativos, dessa crLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados do BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo?”, ironizou Weintraub.

Os chineses reagiram através do embaixador no Brasil, Yang Wanming, que chamou o ministro de racista. Depois disso, Weintraub apagou a postagem do Twitter.

O Ministério Público Federal pediu a abertura da investigação alegando que o comportamento do ministro da Educação “configura, em tese, a infração penal prevista na parte final do artigo 20 da Lei 7.716/1989, que define os crimes resultantes de preconceito”.

O ministro Celso de Mello não aceitou que o inquérito corra em sigilo nem concedeu a Weintraub a regalia de depor em dia e hora previamente acertado com os procuradores. Segundo o ministro, apenas autoridades que são vítimas ou testemunhas gozam desse privilégio.

Essa não foi a única ofensa do governo federal, ou do clã Bolsonaro contra os chineses. Inspirados pela agressividade de Donald Trump, que chama o Coronavírus de Vírus Chinês, os bolsonaristas difundem forte preconceito contra os orientais. Vergonha nacional.

Que paguem por seus crimes.

Com informações da Folha de São Paulo.

LEIA TAMBÉM
‘Quer que eu faça o quê?’, diz Bolsonaro sobre nº de mortes no Brasil maior que na China

Brasil tem 5.017 mortos por Coronavírus ultrapassando a China em 28/04

Investidores brasileiros esperam convulsões sociais após pandemia do coronavírus, diz pesquisa de banco suíço

China manifesta ‘forte indignação e repúdio’ às declarações de Weintraub

A Embaixada da China no Brasil divulgou uma nota, na madrugada desta segunda-feira (06), na qual acusa o ministro da Educação brasileiro, Abraham Weintarub, de fazer declarações difamatórias e associar o país asiático à origem da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

No domingo (5), Weintraub publicou em seu Twitter uma imagem do personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, e fez alusão ao fato de o personagem trocar o “r” pelo “l”, insinuando que seria a forma de falar do povo chinês e que a China sairia fortalecida da crise mundial do coronavírus. A postagem foi apagada em seguida.

“Geopoliticamente, quem podeLá saiL foLtalecido, em teLmos Lelativos, dessa cLise mundial? PodeLia seL o Cebolinha? Quem são os aliados no BLasil do plano infalível do Cebolinha paLa dominaL o mundo? SeLia o Cascão ou há mais amiguinhos?”, escreveu o ministro na ocasião.

Em reposta na mesma rede social, a Embaixada da China no Brasil afirmou que “deliberadamente elaboradas, tais declarações são completamentes absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis, tendo causado influências negativas no desenvolvimento saudável das relações bilaterais China-Brasil”. “O lado chinês manifesta forte indignação e repúdio a esse tipo de atitude”.

O comunicado ainda destacou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a comunidade internacional se opõem explicitamente à associação do vírus a um certo país ou uma certa região, combatendo a estigmatização sobre qualquer pretexto. “Instamos que alguns indivíduos do Brasil corrijam imediatamente os seus erros cometidos e parem com acusações infundadas contra a China”.

Com informações do Estadão.