SP tem quase 8 mil pessoas internadas com covid-19

Cerca de 8 mil pessoas estão internadas em todo o estado de São Paulo por suspeita ou confirmação de covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Desse total, 3.106 são pacientes de unidades de terapia intensiva (UTI) e 4.810 são de enfermaria. Nas últimas 24 horas, foi registrado aumento de 500 internações.

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado está em 59,8%. Na capital paulista, o índice é mais alto e chega a 78,4%. No Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo a ocupação de leitos de UTI já atingiu 95%. Hoje, o governo paulista anunciou a criação de mais 100 leitos de UTI no Hospital das Clínicas até o final de maio que se somarão às 200 unidades já existentes no local.

São Paulo tem agora 1.825 óbitos provocados pelo novo coronavírus, 125 deles ocorridos entre ontem (26) e hoje (27). Há também 21.696 casos confirmados da doença.

LEIA TAMBÉM:
56,3% dos brasileiros querem Sergio Moro candidato a presidente da República, diz pesquisa

Secretário de Paulo Guedes diz que jogos de futebol devem voltar em breve

Em colapso, Manaus solicita aviões para reabastecer estoque de caixões

Desde ontem, houve queda de um ponto percentual na concentração de casos e mortes na cidade de São Paulo, o que significa que a doença se dispersou pelo estado. A capital responde agora por 64% dos casos e mortes por coronavírus do estado. Um em cada três óbitos e casos de covid-19 ocorrem no interior, litoral ou na Grande São Paulo. Esses locais somam 653 óbitos (35,7% do total) e 7.707 casos (35,5%). Das 645 cidades do estado, 131 já têm registro de uma ou mais mortes por covid-19. A doença já infectou pessoas em 288 municípios paulistas.

Perfil da mortalidade
Entre as mortes, 1.066 são homens e 759 mulheres. Segundo a Secretaria estadual da Saúde de São Paulo, os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 74,7% das mortes.

A mortalidade é maior entre pacientes entre 70 e 79 anos (que concentram 467 mortes), seguida pela faixa etária entre 60-69 anos (406) e 80-89 (357). Também faleceram 135 pessoas com mais de 90 anos. Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (234 do total), seguida por pessoas das faixas entre 40 a 49 (com 138 mortes), 30 a 39 (com 66 óbitos), 20 a 29 (16 óbitos) e 10 a 19 (5 óbitos). O estado registrou ainda a morte de um bebê.

Entre os principais fatores de risco associados à mortalidade por coronavírus estão a cardiopatia, responsável por 56,1% dos óbitos por covid-19. Em seguida aparece o diabetes mellitus (40,6%), a pneumopatia (11,5%), a doença renal (11,4%) e a doença neurológica (10,5%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática. Esses fatores de risco foram identificados em 1.508 pessoas que morreram por covid-19 (82,6%) do total.

Brasil soma 4.543 mortes e 66.501 casos de coronavírus em 27/04
O Ministério da Saúde divulgou nesta segunda-feira (27) o balanço diário dos casos de coronavírus no Brasil.

Os principais dados são:

-4.543 mortes, no domingo (26) eram 4.205. Foram 338 mortes a mais.
-66.501 casos confirmados, no domingo (26) eram 61.888. Foram 4.613 casos a mais.
-Em 7 dias foram mais 1.802 mortes.

‘Vampiro Teich’ cancela compra de 15 mil respiradores da China
O Ministério da Saúde, pilotado pelo “vampiro” Nelson Teich, cancelou a compra de 15 mil respiradores produzidos na China. Segundo o governo, ao longo de três meses, uma rede de empresas ajudará a atender as necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), com 14.100 respiradores mecânicos.

Os ventiladores ajudam pacientes que não conseguem respirar sozinhos e seu uso é indicado nos casos graves de Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O Ministério da Saúde já entregou 272 respiradores produzidos no Brasil. “Contratos assinados a partir de 7 de abril, garantem uma solução nacional diante da dificuldade mundial de aquisição do equipamento”, justifica a pasta, em nota.

Atualmente, o Brasil conta com 65.411 respiradores/ventiladores, sendo que 46.663 estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

Com informações de agências.