Site israelense jura que é falsa a notícia de homofobia de ministro da Saúde

O site israelense “Honest Reporting” (Relatórios Honestos) lançou uma ofensiva nesta terça-feira (7) com o intuito de desmentir a notícias segunda qual o ministro da Saúde daquele país, Yaakov Litzman, testado positivo para o coronavírus, teria declarado que a Covid-19 era “punição divina aos gays”.

O RH explica que seu papel na internet é defender Israel por meio da mídia (defending israel form media bias) e, por isso, em comunicado enviado ao Blog do Esmael expressou:

“RH pede correção de acusação falsa contra ministro da Saúde de Israel”, diz o texto traduzido do inglês.

Segundo a página do RH,

“Houve relatos de declarações extremas e homofóbicas de alguns líderes religiosos de linha dura de diferentes religiões sobre o coronavírus.

O rabino Litzman, no entanto, não está entre eles. Além disso, se o ministro da Saúde de Israel fizesse tal declaração, teria causado um alvoroço dentro de Israel, uma sociedade esmagadoramente liberal e favorável aos gays. Uma história dessa natureza certamente seria manchete na imprensa israelense, incluindo os muitos sites profissionais de notícias em inglês que são facilmente acessados ​​por jornalistas de todo o mundo.

Então, de onde veio essa história? Um site baseado no Paquistão e um site humanista secular progressivo que o obteve do site paquistanês.

Esta é uma demonstração infeliz de como é fácil espalhar notícias falsas de fontes ilegítimas.

Para seu crédito, a Pink News respondeu ao nosso e-mail imediatamente, reconhecendo que havia sido cometido um erro. A história foi alterada e a seguinte correção foi emitida:

‘Uma versão anterior deste artigo referenciava dois relatórios imprecisos sobre Yaakov Litzman, culpando a pandemia de coronavírus pela homossexualidade. Isso já foi corrigido’.”

O Blog do Esmael, plural e democrático, repõe a versão do ministro da Saúde na história difundida no mundo inteiro.

Os jornais israelenses, a exemplo do The Times of Israel, confirmam que o ministro Litzman, de 71 anos, e sua esposa foram infectados pelo coronavírus.

LEIA TAMBÉM
Cabo Daciolo reaparece e diz que facada em Bolsonaro foi ‘armação’ da Maçonaria

WhatsApp restringe encaminhamentos para conter ‘fake news’

PSOL pede a cassação de Osmar Terra por disseminar notícias falsas sobre coronavírus

Notícias ao vivo do Coronavírus: Boris Johnson na UTI
Desde ontem (6) houve uma piora do quadro clínico do primeiro-ministro britânico Boris Johnson, testado positivo para coronavírus. Ironicamente, o político de 55 anos torcia o nariz para a doença. Agora ele está numa UTI, respirando com ajuda de aparelhos.

A situação de Johnson, automaticamente, nos remete ao caso do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, um dos últimos negacionistas do mundo. O político brasileiro, 65 anos, insiste em afrouxar as medidas de isolamento social recomendadas pela OMS para evitar a propagação da Covid-19.

No mundo, são 1.360.232 casos e 75.961 mortes confirmadas pelo novo coronavírus nesta terça-feira (7).

No país de Boris Johnson e da rainha Elizabeth II, o Reino Unido, são 51.608 casos e 5.373 mortes no dia de hoje.

Já o Brasil tem 12.240 casos e 567 mortes, segundo o Ministério da Saúde.

Deputados da Comissão de Direitos Humanos da Câmara denunciam Bolsonaro à ONU por ‘flertar com genocídio’
Deputados da Comissão de Direitos Humanos da Câmara denunciaram nesta segunda-feira (6) a diversos organismos da Organização das Nações Unidas (ONU) o comportamento irresponsável do presidente de extrema direita Jair Bolsonaro diante da pandemia do coronavírus que assola o País. No documento, eles ressaltam que “o presidente da República Federativa do Brasil flerta com o risco de um genocídio e menospreza a possibilidade de óbito de idosos. Nenhum cidadão, muito menos um mandatário, pode usar a liberdade de expressão para desinformação e para colocar em situação de risco a saúde e a vida de mais de 200 milhões de pessoas”.