Sindicato defende reestatização da Embraer para garantir empregos

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) avalia que o fim do acordo entre Boeing e Embraer é uma reviravolta na transação marcada pelo “desprezo aos interesses nacionais e dos trabalhadores brasileiros”. Em nota, o sindicato, que desde o início das negociações foi contra a venda da Embraer para Boeing, disse que a companhia não precisa de aliança com parceiros internacionais para sobreviver.

O sindicato pede que os custos para efetuar a transação sejam ressarcidos pela Boeing. De acordo com o sindicato com base no demonstrativo financeiro da própria Embraer, esse valor chega a R$ 485 milhões.

LEIA TAMBÉM:

Boeing desiste de ‘comprar’ Embraer

Fora Bolsonaro: Câmara dos Deputados já recebeu 27 pedidos de impeachment

Datena escracha Moro ao vivo na televisão; assista

“Defendemos que o governo brasileiro cumpra o seu papel em favor da nossa soberania e reestatize a Embraer para que, diante dos efeitos colaterais a serem provocados pela ruptura do acordo, agravados pelas consequências econômicas causadas pela pandemia do coronavírus, os empregos e direitos dos trabalhadores sejam preservados integralmente”, diz a nota do sindicato.

Compartilhe agora