Requião abre fogo no prefeito de Curitiba por causa do coronavírus: “não suporta pobre”

Para Requião, o prefeito Rafael Greca colocou os lucros e os negócios acima da vida dos curitibanos ao autorizar a reabertura do comércio na cidade.

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR) se irritou com o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), que liberou geral para o funcionamento do comércio a partir desta sexta-feira (17).

Greca sucumbiu ao lobby da Associação Comercial do Paraná (ACP) e da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRABAR) ao afrouxar o distanciamento social na capital paranaense.

Para Requião, o prefeito Greca colocou os lucros e os negócios acima da vida dos curitibanos.

“E não é de estranhar, afinal ele já disse que não suportava pobre”, disparou o emedebista, ao lembrar da campanha de 2016.

Na época, Greca disse que não aguentava o cheiro de pobre e diante de um pobre vomitava.

Ironizando o sobrepeso do prefeito Rafael Greca, Requião recomendou ao prefeito de Curitiba:

“Volte atrás Greca, afinal os gordos também são grupo de risco!”, afirmou.

LEIA TAMBÉM
Tarso Genro diz que novo ministro da Saúde “não é ‘técnico’ e não conhece o SUS”

Abrir ou não abrir o comércio, eis o dilema de Bolsonaro, governadores e prefeitos

#ForaMaia com 1,36 milhão de tweets: ‘Tem robô aí’, diz Merval Pereira

Curitiba obriga o uso de máscara em espaços públicos
A Prefeitura de Curitiba publicou uma resolução determinando a obrigatoriedade do uso de máscaras nos espaços de uso comum na capital paranaense.

A nova normativa estabelece a obrigatoriedade de uso de máscaras pela população em espaços públicos, comerciais e de uso coletivo, incluindo o transporte coletivo, os táxis e os veículos de aplicativos. A orientação é que a população faça uso de máscaras caseiras.

A Resolução nº 1 do prefeito Rafael Greca (DEM) estabelece acerca do combate do coronavírus:

[…]

Art. 2.º – Fica obrigatório o uso de máscara pela população, em geral, nos espaços abertos ao público, ou de uso coletivo, inclusive os comerciais, no Município de Curitiba.

§1º – Poderão ser usadas máscaras de confecção caseira, conforme as orientações do Ministério da Saúde e os protocolos da Secretaria Municipal da Saúde.

§2º – São considerados também espaços de uso coletivo para fins do caput deste artigo os veículos de transporte público coletivo, de taxi e transporte remunerado privado individual de passageiros.

[…]

A medida obrigando o uso de máscara pelos curitibanos foi adotada, paralelamente, à liberação para o funcionamento total do comércio, a pedido da Associação Comercial do Paraná (ACP) e da Associação dos Bares e Casas Noturnas (Abrabar).

Para Requião, não faltam como exemplos informações e atitudes em todo o mundo. Segundo o emedebista, liberar o comércio em Curitiba é um crime de responsabilidade do prefeito curitibano.

“Diante das informações que temos, da atitude de todos os países do mundo, liberar o comércio em Curitiba é, nada mais, nada menos, que crime de responsabilidade”, disse Roberto Requião, ilustre morador da capital paranaense.

Brasil tem 33.682 casos do Coronavírus com 2.141 mortes em 17/04
O balanço desta sexta-feira (17) do ministério da Saúde aponta que o Brasil rompeu o número de 2 mil mortos pelo Coronavírus chegando a 2.141 óbitos. O País tem 33.682 casos confirmados da doença.

Os dados são:

  • 2.141 mortes
  • 33.682 casos confirmados
  • O aumento no número de mortos foi de 11,2% desde na quinta quando o número ficou em 1.924
  • Já os casos confirmados aumentaram em 10,7%.

Curitiba totaliza 385 casos de coronavírus e 8 mortes, até quinta-feira (16/04).