Requião: “A canalha quer acabar com o PT”

Publicado em 4 abril, 2020
Lula-Requião-e-Gleisi
Para Requião, o PT é o único partido que tem base social para apresentar resistência ao projeto neoliberal.

O ex-senador Roberto Requião (MDB-PR), presidente da Frente Ampla pela Soberania, acusou neste sábado (4) a “canalha” de tentar acabar com a existência do PT.

O emedebista se referiu as vice-procurador-geral eleitoral Renato Brill de Goés, que emitiu parecer favorável a um processo que pede o cancelamento do registro do Partido dos Trabalhadores.

.

“A canalha quer acabar com PT, não com o coronavírus”, disparou Requião.

A ação tem como base depoimentos colhidos pela operação Lava Jato contra o partido. Segundo esses depoimentos, o partido recebeu recursos ilícitos de origem estrangeira, o que violaria o inciso I do art. 28 da Lei dos Partidos Políticos.

“Diante de tal contexto, forçoso reconhecer a existência de indícios suficientes do recebimento, por parte do Partido dos Trabalhadores – PT, ora requerido, via interpostas pessoas, de recursos oriundos de pessoas jurídicas estrangeiras (Keppel FELS e Toshiba), inclusive para pagamento de despesas contraídas pelo próprio partido, a evidenciar, em tese, interesse direto da instituição partidária e não apenas de dirigente seu, circunstância que autoriza o prosseguimento do feito quanto à hipótese do inciso I do art. 28 da Lei dos Partidos Políticos, com a inauguração de sua fase de instrução”, escreveu o vice-procurador.

.

Para Requião, o procurador expressa o momento terrível e triste da história do [nosso] Brasil.

LEIA TAMBÉM
#NasRuas5DeAbril pode ser o maior fiasco de Bolsonaro

Mandetta alerta que #Covid-19 ainda não atingiu bairros operários no Brasil

.

Jandira Feghali: ‘Bolsonaro é o mensageiro do caos e do desespero’

O procurador Brill de Goés, ao dar parecer favorável ao processo de extinção do PT, solicitou ainda oitiva José Alberto Piva Campana e Rafael Ângulo Lopes, que foram citados no depoimento do doleiro Alberto Youssef.

A direção nacional do PT, por meio de nota, afirmou que “o Ministério Público pode querer calar a voz da oposição, atendendo aos desejos do governo, só isso justifica a admissão de um pedido esdrúxulo e ilegal como este.”

.

“É ultrajante e fantasiosa a admissibilidade pelo vice-procurador-geral eleitoral Renato Brill de Goés de pedido para cancelamento do registro do Partido dos Trabalhadores junto à Justiça Eleitoral”, afirmou a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR).

A dirigente petista lembra que “o PT tem 40 anos de história em defesa da democracia e do povo brasileiro” e possuiu “uma longa tradição em luta pelos direitos sociais no país, contra o abuso do poder político e econômico e por uma sociedade menos desigual.”