PT e Lula aprovam o ‘Fora Bolsonaro’ no Dia de Tiradentes

As bancadas do PT na Câmara e no Senado se reuniram com o ex-presidente Lula nesta terça-feira, 21 de abril, Dia de Tiradentes, para discutir o coronavírus e aprovar o ‘Fora Bolsonaro’.

A data é bastante emblemática porque aumenta a impressão dos brasileiros de que Bolsonaro, na verdade, é a encarnação de Joaquim Silvério dos Reis –o traidor que delatou a Inconfidência Mineira.

“Diante da avaliação do atual quadro, da crise grave que passamos, as bancadas estão levando como sugestão à nossa Direção Partidária que temos que elevar o tom e dizer que com esse governo não dá, e portanto é ‘Fora Bolsonaro”, afirmou a presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann.

O PT havia anunciado “a princípio” que o encontro seria “aberto”, mas o coletivo resolveu fechá-lo para melhor discutir a questão do “Fora Bolsonaro”.

Realizada por videoconferência, a reunião de Lula com senadores e deputados petistas colocou no centro do debate o fortalecimento do Estado como medida urgente de combate ao coronavírus, visando gerar novos empregos, proteger a saúde, afastar a miséria e garantir a democracia brasileira.

“A verdade nua e crua é que nos países mais justos do mundo o Estado tem de ser forte, porque só quem faz política social é o Estado”, tem repetido Lula como se fosse um mantra. “Só quem faz política para o pobre é o Estado. Se o governo não presta, troca-se o governo. Mas o que não dá é achar que o Estado fraco resolve o problema da população. Não resolve”, disse o ex-presidente no mês passado durante périplo pela Europa.

Sobre a necessidade de gastos públicos nesses tempos de coronavírus, Lula vai direto ao ponto: “Você acha que o Roosevelt estava preocupado com o orçamento quando fez o New Deal?”

O PT deu início hoje à campanha pelo ‘Fora Bolsonaro’ e definirá a data do velório para o atual modelo de capitalismo que já ‘não consegue mais assegurar empregos, competição saudável e geração de conforto’ para amplos setores da sociedade. Objetivamente, o capitalismo tal qual conhecemos hoje respira por aparelhos.

“Termina a reunião das bancadas de senadores e deputados do PT com o presidente Lula, e a sugestão é que o partido assuma o movimento #ForaBolsonaro. No sábado amplos setores da chamada esquerda petista já pressionaram neste sentido”, disse o deputado federal Rogério Correia (PT-MG).

O ex-presidenciável Fernando Haddad também participou da reunião virtual com as bancadas do PT no Congresso Nacional.

LEIA TAMBÉM
Bolsonaro leva ‘puxão de orelha’ das Forças Armadas

Robôs bolsonaristas continuam atacando #MaiaInimigoDoBrasil

Kim Jong está firme e forte, enquanto Bolsonaro balança, mas não cai

Lula Livre já está habilitado para disputar a Presidência em 2022

Bolsonaro é uma ofensa à memória de Tiradentes, herói nacional

Neste feriado de 21 de abril, é momento de reflexão de todos os brasileiros de quão é ofensivo o presidente Jair Bolsonaro à memória de Joaquim José da Silva Xavier –o nosso Tiradentes, patrono cívico do Brasil e de várias polícias militares e civis nos estados.

Bolsonaro é o avesso de Tiradentes porque ele [o presidente] é da linhagem vira-lata, que se submete ao estrangeiro, vide a relação de submissão canina ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Essa dependência emocional do capitão brasileiro é motivo de chacota em cartoons aqui e alhures.

Tiradentes morreu enforcado no dia 21 de abril de 1792, qual seja, há 228 anos porque organizara uma revolta contra o excesso de impostos da Coroa de Portugal em Minas Gerais. O grupo também almejava uma revolução pela independência nacional.

Os Inconfidentes Mineiros foram delatados aos portugueses por Joaquim Silvério dos Reis, símbolo de traição nacional, em troca do perdão de suas dívidas com a Real Fazenda.

Bolsonaro tem sido comparado a Silvério dos Reis nesses tempos de coronavírus, e com razão.

O presidente da República tem feito gestões contra o confinamento social que podem levar à morte milhões de brasileiros. Além disso, Bolsonaro assegura que bancos e especuladores preservem seus bilionários e até trilionários rendimentos, às custas do orçamento público, enquanto deixa o povo passando fome e à própria sorte.

A grave crise econômica no Brasil atual é anterior à pandemia da Covid-19, fruto de escolhas políticas e ideológicas –submissas a Trump e aos EUA– contrárias aos interesses e à soberania nacional.

Bolsonaro faz um governo de traição nacional quando esmaga direitos sociais da sociedade e dos trabalhadores brasileiros, atenta contra o patrimônio público, se alia aos mais ricos para subjugar os mais pobres e desvalidos.

Desde a Proclamação da República no Brasil, em 1889, Tiradentes é considerado herói nacional. O mártir foi criado pelos republicanos com a intenção de ressignificar a identidade brasileira.

Portanto, Bolsonaro é uma ofensa à memória de Tiradentes e à tradição republicana do Brasil.

Covid: Trump apela para a xenofobia e diz que vai suspender a imigração para os Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na noite desta segunda-feira (20) que fecharia os Estados Unidos às pessoas que tentam imigrar para o país, a mais recente de uma série de restrições para reprimir o ingresso de estrangeiros à medida que o surto de coronavírus continua.

“À luz do ataque do inimigo invisível, bem como da necessidade de proteger os empregos de nossos GRANDES Cidadãos Americanos”, escreveu Trump no Twitter, “assinarei uma Ordem Executiva para suspender temporariamente a imigração para os Estados Unidos!”

Nas últimas semanas, o governo Trump agiu rapidamente para impedir que solicitantes de asilo e imigrantes sem documentados ingressem no país.

Alarmados, advogados de imigração que disseram que Trump e seus conselheiros estão usando uma pandemia global para promover políticas de imigração de linha dura.

Ou seja, Donald Trump quer culpar os imigrantes pela disseminação do coronavírus, por meio da xenofobia, quando, na verdade, ele demorou para agir contra a pandemia. O Blog do Esmael já discutiu isso várias vezes, acerca da omissão do presidente da americano e o reflexo disso na economia e na política.