Polícia espanhola prende brasileiro suspeito de matar moradores de rua

Os crimes teriam acontecido durante as últimas semanas de confinamento pela Covid-19 na Espanha. A polícia regional da Catalunha informou nesta terça-feira (28) a detenção de um brasileiro, de 35 anos, suspeito de ser o responsável pelo assassinato de pelo menos três moradores de rua em Barcelona.

“Os Mossos d’Esquadra (polícia regional) anunciam a detenção de um homem relacionado com a morte de pessoas que vivem nas ruas de Barcelona”, diz o comunicado da força de segurança autônoma da Catalunha, a mais antiga da Europa.

LEIA TAMBÉM:
Governadores do Nordeste vão ao STF para pedir suspensão das dívidas com a União

Eduardo Bolsonaro teme um processo de impeachment contra o pai

Bolsonaro nomeia André Mendonça para o ministério da Justiça

A detenção do homem aconteceu na madrugada desta terça-feira na localidade de Sant Cugat del Vallés, na periferia de Barcelona, horas depois da notificação do assassinato de um morador de rua no centro da cidade.

“Às 23h, recebemos um aviso de que havia uma pessoa morta com sinais de violência em uma rua do centro de Barcelona”, afirmou um porta-voz da polícia. De acordo com a rádio Cadena Ser, a vítima recebeu golpes violentos na cabeça com um objeto contundente, um “modus operandi” que a polícia observou em dois crimes contra pessoas sem teto, em 16 e 18 de abril, na mesma área de Barcelona.

Sem chance de defesa para as vítimas
“A forma como esta pessoa atuava não deixava nenhum tipo de defesa para a vítima. A violência era desmedida e gratuita”, afirmou em uma entrevista coletiva Joan Carles Granja, responsável pela investigação. Mas “estes homicídios em via pública de moradores de rua terminaram”, acrescentou Granja.

O dispositivo mobilizado pela polícia, as descrições apresentadas por testemunhas e as imagens das câmeras de segurança permitiram deter o suspeito ainda durante a madrugada. De acordo com a polícia, o suspeito já havia sido detido por roubo na cidade de Zaragoza, mas sua ficha não registrava atos violentos.

“É uma pessoa com um discurso um pouco incoerente, não descartamos que tenha alguma dificuldade mental”, completou o investigador.

Além das três mortes em abril, outro assassinato de sem teto foi registrado em Barcelona no dia 19 de março, mas este caso está relacionado a uma briga entre moradores de rua, de acordo com a imprensa local.

A polícia vincula o brasileiro a três dos quatro crimes, afirmou uma fonte policial, sem anunciar oficialmente quais deles, porque a investigação está sob segredo de Justiça.

Terceiro país com o maior número de mortes por conta do coronavírus, a Espanha viu suas ruas se esvaziarem completamente durante a rigorosa quarentena imposta à população desde 14 de março e que vai durar até 9 de maio.

As informações são da RFI.